SOBRE A CONDENAÇÃO ETERNA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: SOBRE A CONDENAÇÃO ETERNA

Mensagem por Administrador em Sex Jan 20, 2012 7:09 pm

Conforme dito, movi o tópico que estava em Catecismo da Igreja Católica para este aqui. Todos são livres para discordar do que a moderação ou tira dúvidas postam, desde que façam no lugar correto. O diálogo é sempre bem vindo, e não é nossa intenção excluir ninguém. Se alguém se sente excluído, peço desculpas.


Administrador

Mensagens : 74
Data de inscrição : 11/10/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SOBRE A CONDENAÇÃO ETERNA

Mensagem por Pe. Anderson em Sab Jan 21, 2012 6:39 am

Caros amigos,

A natureza humana está caida, mas nao totalmente corrompida. O homem com o pecado original perdeu os dons sobrenaturais e parte dos naturais, mas isso nao significa que sua natureza seja totalmente má. Uma natureza humana essencialmente má nao aparece em. Nenhuma parte da Escritura.

A liberdade humana é afirmada desde a primeira até a última parte das Esctituras, desde o pecado livre de Adao e Eva até a ultima exortaçao biblica. Se o homem nao fosse livre, se fossemos marionetes nas maos de Deus ou do "destino" seria inutil tida pregaçao e todo ensunamento biblico.

Depois da morte vem o juizo de cada um, essa é a doutrina bíblica. Nesse juizo receberemos aquilo que escolhemos nas nossas vidas, segundo a justiça de Deus. Deus nao quer a condenaçao de ninguem, mas ama nossa liberdade, inclusive a liberdade de quem o nega.

Deus nao criou ninguem com o intuito de condenar, mas ele criou a todos para que vivam com Ele. Entretanto Ele nos fez livres e responsáveis, com tudo o que isso implica. O pessemismo antropológico e trágico nao encontra nenhum fundamento biblico.

os textos das Sagradas Escrituras antes citados precisam ser lidos dentro do contexto do livro e do pensamento total do Novo Testamento e nao dizem i que os comentarios acima que foram feitos. seria bom ter mais respeito pela palavra de Deus e nao querer fazer que ela. diga aquilo que nao diz.

dizer que toda natureza criada por Deus é má e destinada ao Inferno é repetir os erros maniqueistas e é colocar no Deus bom muitos males. Deus seria caprichoso e arbitrário, por salvar umas marionetas humanas e por condenar a outras. amanha eu continuo.

Grande abraço e que o Deus justo, bom e verdadeiro abençoe a todos.
avatar
Pe. Anderson
Admin

Mensagens : 952
Data de inscrição : 10/09/2008
Idade : 35
Localização : Roma

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SOBRE A CONDENAÇÃO ETERNA

Mensagem por Fabricio em Seg Fev 13, 2012 11:50 am

A doutrina da dupla predestinação tem muitas incoerências. Por ora, coloco duas:

Em primeiro lugar, ao adimitr-se que o livre arbítrio não existe, acabamos por colocar Deus como autor do pecado, o que por si já é um grande absurdo. Deus é o sumo bem, dessa forma não pode fazer Ele o mal. O pecado é obra do homem, jamais obra de Deus, como bem lembra o apóstolo:

"Pois, se nós, que aspiramos à justificação em Cristo, retornamos, todavia, ao pecado, seria porventura Cristo ministro do pecado? Por certo que não!" (Gálatas 2:17)

Ainda São Tiago nos confirma:

"Ninguém, quando for tentado, diga: É Deus quem me tenta. Deus é inacessível ao mal e não tenta a ninguém. Cada um é tentado pela sua própria concupiscência, que o atrai e alicia. A concupiscência, depois de conceber, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte." (São Tiago, 1:13-15)

Em segundo lugar, lembremos que Deus deseja que todos os homens sejam salvos. Deseja Ele que todos os pecadores se convertam:

"Terei eu prazer com a morte do malvado? - oráculo do Senhor Javé. - Não desejo eu, antes, que ele mude de proceder e viva?" (Ezequiel, 18:23)

"O Senhor não retarda o cumprimento de sua promessa, como alguns pensam, mas usa da paciência para convosco. Não quer que alguém pereça; ao contrário, quer que todos se arrependam." (II São Pedro, 3:9)

Ora, mas como pode Deus querer a salvação de todos e predestinar alguns à perdição? Seria uma contradição e tanta...

Fabricio

Mensagens : 446
Data de inscrição : 04/02/2011
Localização : Fabricio

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Deixemos falar a palavra: (o VERBO ou LOGOS: λόγος, )

Mensagem por MSPP em Qua Out 10, 2012 12:02 pm

28Em verdade vos digo: todos os pecados e todas as blasfémias que proferirem os filhos dos homens, tudo lhes será perdoado;
29
*mas, quem blasfemar contra o Espírito Santo, nunca mais terá perdão: é réu de pecado eterno.»

(Mc.3:29)

3Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, 4que quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade.
(1ª Timóteo 2:4)
37*porque nada é impossível a Deus.»(Lucas 1:37)
25Ao ouvir isto, os discípulos ficaram estupefactos e disseram: «Então, quem pode salvar-se?» 26Fixando neles o olhar, Jesus disse-lhes: «Aos homens é impossível, mas a Deus tudo é possível.»(Mt. 19:26)
26Eles admiraram-se ainda mais e diziam uns aos outros: «Quem pode, então, salvar-se?» 27Fitando neles o olhar, Jesus disse-lhes: «Aos homens é impossível, mas a Deus não; pois a Deus tudo é possível.»(Mc.10,27)
E dizia: «Abbá, Pai, tudo te é possível; afasta de mim este cálice! Mas não se faça o que Eu quero, e sim o que Tu queres.»(Mc. 14:36)
avatar
MSPP

Mensagens : 429
Data de inscrição : 07/04/2012
Idade : 73
Localização : Ermesinde - Portugal

Ver perfil do usuário https://sites.google.com/site/rrfn001/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SOBRE A CONDENAÇÃO ETERNA

Mensagem por Ralão em Ter Set 10, 2013 11:23 am

Boas,

Pena o Padre Anderson não ter continuado com o seu esclarecimento.
Alguém sabe porquê?

Cumprimentos
avatar
Ralão

Mensagens : 92
Data de inscrição : 17/10/2009
Idade : 50
Localização : Portugal - Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SOBRE A CONDENAÇÃO ETERNA

Mensagem por menandro taufner gomes em Sex Jan 22, 2016 6:21 pm

Eis um texto do livro que estou escrevendo, que tem um dos tópicos o Dogma da Santa Igreja, referente a Imortalidade da Alma:
A ETERNIDADE DA PENA É COMPATÍVEL COM A ETERNIDADE DO PECADO NÃO REDIMIDO:
Toda alma, como ente criado, é naturalmente mortal, sendo que só Deus é quem poderá lhe conceder-lhe a imortalidade ou lhe destruir. No entanto, a Vontade Revelada de Deus, jamais deliberou pela destruição de qualquer alma, mesmo que condenada, reservando-lhe a ruína eterna como justa punição em razão do pecado.
Pecado é ofensa, a falta contra a consciência espiritual, contra o Amor, a Ordem e as Leis Eternas de Deus, em sua retidão de princípios contidos em seus mandamentos, ofensa esta, ocasionado pelo apego perverso à desordem natural da “queda”. O pecado está em todo ato que coloque a vontade humana desordenada em conflito com a Vontade Perfeita e Revelada de Deus, quando sendo dado ao homem conhecer o Bem e o mal, opta por este.
Todo pecado é um atentado direto contra Deus, ainda que praticado contra o próximo ou contra qualquer elemento da criação:
“PEQUEI *CONTRA TI SOMENTE,* PRATIQUEI O QUE ERA MAU AOS SEUS OLHOS. (Salmo 51, 6)” O pecado é instantâneo em sua conduta, mas INCESSANTE E IMORTAL EM SEUS EFEITOS.
Pecar é ultrajar Deus. Logo, todo pecado do qual não haja arrependimento, que não se perdoa, impenitente e do qual, portanto, não se liberta, é pois um ultraje permanente. Podemos dizer do pecado, ser ele um ato finito e infinito simultaneamente: ― Finito pela ação humana no qual se realiza no tempo e espaço, e que se pode conceber em poucos instantes; ― Infinito, em intensidade e efeito, pois o atentado contra Deus existirá para sempre, caso não seja, pelo próprio Deus, remido e perdoado.
O único instrumento que apaga o pecado, portanto, é Graça.
Proporcionalmente então, o castigo será incessante. Isto porque o homem estará preso e assim, definitivamente ligado por todo tempo vindouro aos seus pecados não perdoados, não apagados por causa do seu desprezo voluntário a Graça.  É por isso, que não contraria a Perfeição da Justiça Divina o castigo incessante, contínuo e permanente, posto que para o pecado não remido, o efeito do seu ultraje é igualmente perpétuo, contínuo e incessante. Como dizem as Escrituras: O homem está irremediavelmente preso nos seus pecados impenitentes:
“DIANTE DE MIM ESTÁ SEMPRE O MEU PECADO. (Salmos 50, 5)
“[...] A JUSTIÇA DE DEUS É IMORTAL. (Sabedoria 1, 9)”
“O HOMEM SERÁ *PRESO* POR SUAS PRÓPRIAS FALTAS, E LIGADO COM AS *CADEIAS* DE SEU PECADO. (Provérbios 5, 22)” Contrariaria a Justiça Divina, a destruição do autor do pecador, deixando permanentemente os efeitos de sua conduta pecaminosa. Justiça, é dar em retribuição, aquilo que é razoável e proporcional. E a Justiça Divina, age de maneira Mais que Perfeita. O castigo é a separação eterna, a falta de Comunhão irretratável, a perdição (distanciamento) entre os condenados e Deus, que lhes impede de usufruir do Amor Eterno deste, gerando o sofrimento flamejante, tenaz, numa dor intensa que é metáfora do fogo, em razão da incapacidade de ver a Deus.Como dissertaram os Apóstolos: “Mas os céus e a terra que agora existem são guardados pela mesma Palavra Divina E RESERVADOS PARA O FOGO NO DIA DO JUÍZO E DA PERDIÇÃO DOS ÍMPIOS. (II Pedro 3, 7)”
“ELES SOFRERÃO COMO CASTIGO A PERDIÇÃO ETERNA, LONGE DA FACE DO SENHOR, E DA SUA SUPREMA GLÓRIA. (II Tess. 1, 9)”
O sentido do “fogo” para o ímpio no Juízo Final é tormenta, uma metáfora ao sofrimento mais intenso que existe, realizado de maneira contínua, e não a destruição: “Sobre os ímpios, ELE FARÁ CAIR UMA CHUVA DE FOGO E DE ENXOFRE; UM VENTO ABRASADOR DE PROCELA SERÁ O SEU QUINHÃO. (Salmos 10, 6)”
“[...] há de beber também O VINHO DA CÓLERA DIVINA, O VINHO PURO DEITADO NO CÁLICE DA SUA IRA. SERÁ ATORMENTADO PELO FOGO E PELO ENXOFRE diante dos seus santos anjos e do Cordeiro. (Apocalipse 14, 10)” Isto porque, o combustível que nutre a chama do fogo da Justiça de Deus, é a maldade não redimida, não purificada. Sendo esta, imortalizada, por conta da ausência do arrependimento, isto culminará na condenação imortalizada e eterna do pecado ao fogo:
“Circuncidai-vos em honra do Senhor, tirai os prepúcios de vossos corações, PARA QUE MEU FUROR SE NÃO CONVERTA EM FOGO, E NÃO VOS CONSUMA, SEM QUE NINGUÉM POSSA EXTINGUI-LO, POR CAUSA DA PERVERSIDADE DE VOSSOS ATOS. (Jeremias 4, 4)”

menandro taufner gomes

Mensagens : 1
Data de inscrição : 22/01/2016
Localização : vila velha

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SOBRE A CONDENAÇÃO ETERNA

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum