Teria Cristo realmente se sacrificado?

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por cloverfield em Sab Set 27, 2008 3:23 pm

Sempre achei estranha essa história de que eu sou responsável pelo sacrifício de alguem que morreu a mais de dois mil anos. Será que é pra eu me sentir culpado? rsrsrsr

Pergunto: se Jesus era Deus seria onisciente, ou seja, saberia o que ia acontecer, que morreira e ressuscitaria, entao, o que exatamente ele sacrificou? ele nao está vivo?


Última edição por Thales em Seg Set 29, 2008 1:56 pm, editado 1 vez(es) (Razão : Mensagem divida.)
avatar
cloverfield

Mensagens : 37
Data de inscrição : 27/09/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por Fernando Heirich em Qua Out 01, 2008 7:22 am

Para vc,a dor nao é uma forma grande de sacrifício??'? Deixe-se pregar na cruz e depois me diga se isto implica ou nao sacrifício, principalmente se feito por pessoas indiferentes a ti.
avatar
Fernando Heirich

Mensagens : 27
Data de inscrição : 30/09/2008
Idade : 29
Localização : Barra-RJ

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por cloverfield em Qua Out 01, 2008 12:25 pm

Fernando Heirich escreveu:Para vc,a dor nao é uma forma grande de sacrifício??'? Deixe-se pregar na cruz e depois me diga se isto implica ou nao sacrifício, principalmente se feito por pessoas indiferentes a ti.

Por favor, prove que cristo existiu primeiro.
Na epoca em que ele vivia existiam grandes historiadores romanos e judeus e nenhum deles fala nada de jesus.
Nao existe sequer uma prova arqueologica disso.

Alem disso, voce ja considerou a quantidade de pessoas que, na epoca, se diziam messias nascidos de virgens? (ate um deus egipcio ja passou por isso)

Outra coisa, essa historia de "se sacrificou por ti" é so um melodrama pra deixar as pessoas com pena.
Sinto muito, nao me conveceu.
avatar
cloverfield

Mensagens : 37
Data de inscrição : 27/09/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por Thales em Qua Out 01, 2008 2:35 pm

Agradeceria se as questões fossem discutidas em tópicos separados. A questão sobre a existência de Jesus está aqui ó: Jesus Cristo existiu?.

Abraços,
avatar
Thales
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 252
Data de inscrição : 08/08/2008
Localização : Petrópolis

Ver perfil do usuário http://quemtembocavaiaroma.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por cloverfield em Qua Out 01, 2008 3:04 pm

Pois é.

Não crie este topico. pegaram uma dúvida minha e fizeram isso (aliás, com um monte rsrsrsrssr)
avatar
cloverfield

Mensagens : 37
Data de inscrição : 27/09/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por Thales em Qua Out 01, 2008 3:35 pm

Este tópico foi criado porque entendemos que "se Jesus existiu" e "se é possível Ele, como Deus, sacrificar-se" são questões diferentes. Uma é histórica, a outra teológica.
avatar
Thales
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 252
Data de inscrição : 08/08/2008
Localização : Petrópolis

Ver perfil do usuário http://quemtembocavaiaroma.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Perguntas sem fundamentos

Mensagem por sardinhasgb em Qui Out 02, 2008 8:16 am

É ta dando pra perceber que tem gente que dorme, sonha e acorda inventando coisas e coloca na comunidade sem saber o que ta falando !!!!!!!

Existe sim várias fontes não católicas relatando que Jesus existiu:

Bom quem faz pergunta deve ser pq esta muito afi mde ter uma resposta, agora se vc vai acreditar ou não só vc correndo atras pra comprovar a veracidade, quem sou eu pra te forçar !!!!!!!

Flávio Josefo (37-100 d.C.).
O historiador Josefo que viveu ainda no primeiro século (nasceu no ano 37 ou 38 e participou da guerra contra os romanos no ano 70, escreveu em seu livro Antiguidades Judaicas:
"(O sumo sacerdote) Hanan reúne o Sinedrim em conselho judiciário e faz comparecer perante ele o irmão de Jesus cognominado Cristo (Tiago era o nome dele) com alguns outros" (Flavio Josefo, Antiguidades Judaicas, XX, p.1, apud Suma Católica contra os sem Deus, dirigida por Ivan Kologrivof. Ed José Olympio, Rio de Janeiro 1939, p. 254). E mais adiante, no mesmo livro, escreveu Flávio Josefo: "Foi naquele tempo (por ocasião da sublevação contra Pilatos que queria servir-se do tesouro do Templo para aduzir a Jerusalém a água de um manancial longínquo), que apareceu Jesus, homem sábio, se é que, falando dele, podemos usar este termo -- homem. Pois ele fez coisas maravilhosas, e, para os que aceitam a verdade com prazer, foi um mestre. Atraiu a si muitos judeus, e também muitos gregos. Foi ele o Messias esperado; e quando Pilatos, por denúncia dos notáveis de nossa nação, o condenou a ser crucificado, os que antes o haviam amado durante a vida persistiram nesse amor, pois Ele lhes apareceu vivo de novo no terceiro dia, tal como haviam predito os divinos profetas, que tinham predito também outras coisas maravilhosas a respeito dele; e a espécie de gente que tira dele o nome de cristãos subsiste ainda em nossos dias". (Flávio Josefo, História dos Hebreus, Antiguidades Judaicas, XVIII, III, 3 , ed. cit. p. 254). (1, pg. 311 e 3).

Tácito (56-120 d.C.)
Tácito, historiador romano, também fala de Jesus. "Para destruir o boato (que o acusava do incêndio de Roma), Nero supôs culpados e infringiu tormentos requintadíssimos àqueles cujas abominações os faziam detestar, e a quem a multidão chamava cristãos. Este nome lhes vem de Cristo, que, sob o principado de Tibério, o procurador Pôncio Pilatos entregara ao suplício. Reprimida incontinenti, essa detestável superstição repontava de novo, não mais somente na Judéia, onde nascera o mal, mas anda em Roma, pra onde tudo quanto há de horroroso e de vergonhoso no mundo aflui e acha numerosa clientela" (Tácito, Anais , XV, 44 trad.) (1 pg. 311; 3)

Suetônio (69-122 d.C.)
Suetônio, na Vida dos Doze Césares, publicada nos anos 119-122, diz que o imperador Cláudio "expulsou os judeus de Roma, tornados sob o impulso de Chrestos, uma causa de desordem"; e, na vida de Nero, que sucedeu a Cláudio, acrescenta: "Os cristãos, espécie de gente dada a uma superstição nova e perigosa, foram destinados ao suplício" (Suetônio, Vida dos doze Césares, n. 25, apud Suma Católica contra os sem Deus, p. 256-257). (1 pg. 311; 3)

Plínio o Moço (61-114 d.C.)
Plínio, o moço, em carta ao imperador Trajano (Epist. lib. X, 96), nos anos 111 - 113, pede instrução a respeito dos cristãos, que se reuniam de manhã para cantar louvores a Cristo. (4, pg. 106).

Tertuliano (155-220 d.C.)
Escritor latino. Seus escritos constituem importantes documentos para a compreensão dos primeiros séculos do cristianismo. (6). Ele escreveu: "Portanto, naqueles dias em que o nome cristão começou a se tornar conhecido no mundo, Tibério, tendo ele mesmo recebido informações sobre a verdade da divindade de Cristo, trouxe a questão perante o Senado, tendo já se decidido a favor de Cristo...".

Os Talmudes Judeus:
A tradição judaica recolhe também notícias acerca de Jesus. Assim, no Talmude de Jerusalém e no da Babilônia incluem-se dados que, evidentemente, contradizem a visão cristã, mas que confirmam a existência histórica de Jesus de Nazaré. (6)
Os Pais da Igreja
Policarpo, Eusébio, Irineu, Justino, Orígenes, etc...

Considerações Sobre a Existência de Jesus Cristo

Para o leitor ter uma idéia do quanto à existência de Cristo é rica em suas fontes, analisemos analogamente a biografia de Alexandre (o Grande) e Jesus. As duas biografias mais antigas sobre a vida de Alexandre foram escritas por Adriano e Plutarco depois de mais de 400 anos da morte de Alexandre, ocorrida em 323 a.C. e mesmo assim os historiadores as consideram muito confiáveis. Para a maioria dos historiadores, nos primeiros 500 anos, a história de Alexandre ficou quase intacta. Portanto, comparativamente, é insignificante saber que os evangelhos foram escritos 60 ou 30 anos (isso no máximo) depois da morte de Jesus e esse tempo seria insuficiente para se mitificar um indivíduo.
Por exemplo, embora os Gathas de Zoroastro, que datam de 1000 a.C., sejam consideradas autênticas, a maior parte das escrituras do zoroastrismo só foram postas por escrito no século III d.C. A biografia pársi mais popular de Zoroastro foi escrita em 1278 d.C. Os escritos de Buda, que viveu no século VI a.C., só foram registrados depois da era cristã. A primeira biografia de Buda foi escrita no século I d.C. Embora as palavras de Maomé (570-632 d.C.) estejam registradas no Alcorão, sua biografia só foi escrita em 767 d.C., mais de um século depois de sua morte. Portanto, o caso de Jesus não tem paralelo, e é impressionante o quanto podemos aprender sobre ele fora do Novo Testamento... Ainda que não tivéssemos nenhum dos escritos do Novo Testamento e nenhum outro livro cristão, poderíamos ter um prisma nítido do homem que viveu na Judéia no século I. Saberíamos, em primeiro lugar, que Jesus era um professor judeu; segundo, muitas pessoas acreditavam que ele curava e fazia exorcismos; terceiro, algumas acreditavam que ele era o Messias; quarto, ele foi rejeitado pelos líderes judeus; quinto, foi crucificado por ordem de Pöncio Pilatos durante o reinado de Tibério; sexto, apesar de sua morte infame, seus seguidores, que ainda acreditavam que ele estivesse vivo, deixaram a Palestina e se espalharam, assim é que havia muitos deles em Roma por volta de 64 d.C.; sétimo, todo tipo de gente, da cidade e do campo, homens e mulheres, escravos e livres, o adoravam como se ele fosse Deus. Sem dúvida a quantidade de provas corroborativas extrabíblicas é muito grande. Com elas, podemos não somente reconstruir a vida de Jesus sem termos de recorrer à Bíblia como também ter acesso à informação sobre Cristo por meio de um material mais antigo do que os próprios evangelhos. (Adaptado de 7 pg. 113 e 114).
Conclusão

Pelo que argumentamos acima, diante de tão significativa testemunha documental, podemos afirmar que verdadeiramente Jesus Cristo é um homem da História, tanto que ele a dividiu em antes e depois dele. O pesquisador que acurar a questão sem preconceito chegará à conclusão que as provas são substanciais. As provas existem, mas quem quiser escapar a elas, escapa. Como se, afinal de contas, Jesus nos quisesse deixar a decisão de lhe conceder um lugar na história, na nossa história. Recordemos quando Ele devolveu a pergunta aos apóstolos: "E vós, quem dizeis que eu sou?".



Agora é bom não fazer afirmações antes de fazer uma pesquisa básica pelo menos no cade né !!!!!

Pra não ficar com "carão" de que ta falando besteira
avatar
sardinhasgb

Mensagens : 12
Data de inscrição : 19/09/2008
Idade : 31
Localização : Petrópolis

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por são vieira em Sex Jul 17, 2009 4:26 pm

que confusão! Jesus não é Deus... é o seu filho primogénito e unigénito... foi a sua primeira criação e unico criado diretamente por ele pois a biblia em vários textos mostram que antes de vir á terra jesus foi o mestre de obras de Deus e que ele ajudou seu pai a criar todas as coisas incl«uindo nós humanos...Façamos o homem á nossa imagem de génesis 1: 26 mosta que era mais que uma pessoa a partcipar na criação... daí tb mostre que as coisas ue ele mais gostava era do homem e daí não foi dificil vir á terra perder a vida por nós... mas a diferença entre jesus e Deus é essa: um é pai eterno que não teve principio nem fim e o filho que teve começo: foi criado e continuará a viver para sempre junto de seu pai...a história fala dele, grandes filósofos falam dele, a nossa cultura, senso comum como queiram chamar tem grandes influencias no seu ensino... mais provas? só tendo fé ...

são vieira

Mensagens : 578
Data de inscrição : 15/07/2009
Idade : 36
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por Rafaela Botelho em Dom Jul 19, 2009 11:23 am

são vieira disse:
Jesus não é Deus...


---------
avatar
Rafaela Botelho
Acolhedora

Mensagens : 530
Data de inscrição : 03/10/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por são vieira em Dom Jul 19, 2009 1:26 pm

é o que a biblia ensina...







Se Perguntou?



A Trindade foi definida no Credo Atanasiano como a adoração
do “um só Deus em Trindade . . . O Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito
Santo é Deus; e, no entanto, não são três deuses, mas um só Deus”. Afirma-se
que cada um deles é eterno, todo-poderoso, que nenhum deles é maior ou menor do
que o outro; que cada um é Deus, e que, juntos, são apenas um só Deus. Os teólogos
afirmam que a Trindade é um mistério.



Fala
a Bíblia algo sobre a Trindade? As seguintes perguntas podem ajudá-lo a chegar
a algumas conclusões interessantes.



1. Se Deus é e sempre foi uma Trindade,
será que os judeus encontravam este ensino nas Escrituras Hebraicas (“Velho
Testamento”)?



2. O que dizem as Escrituras Hebraicas
sobre Deus? — Deuteronómio 6:4; Salmo 145; Zacarias 14:9.



3. Será que as Escrituras Hebraicas
mencionam o espírito santo? — Juízes 15:14; Zacarias 4:6.



4. Nas Escrituras Hebraicas, é o espírito
santo mencionado como se fosse uma pessoa ou como a força activa de Deus?
— Juízes 14:6; Isaías 44:3.



5. Mencionam as Escrituras Hebraicas um
prometido Messias, ou Ungido? — Daniel 9:25, 26.



6. Existe algum versículo das Escrituras
Hebraicas que iguale o Messias a Deus? — Salmo 2:2, 4-8; Isaías 45:18;
61:1.



7. Existe algum versículo das Escrituras
Hebraicas que dê base sólida para se crer que Jeová é três pessoas em um só
Deus? — Isaías 44:6; 46:9, 10.



8. Quem enviou Jesus à Terra? Então quem
é superior? — João 5:19, 23, 30; 8:42; 14:28; 17:3.



9. Disse Jesus alguma vez que ele era
Deus? — João 7:28, 29; 14:6.



10.
Muitas pessoas viram Jesus, mas será que algum homem já viu a Deus? — João
1:18; 6:46.



11.
Disse Jesus que ele era o ‘Filho de Deus’ ou que era ‘Deus, o Filho’? — João
10:36; 1 João 4:15; 5:5, 13.



12.
Disse Jesus alguma vez que ele é igual ao Pai? — João 14:28; 20:17.



13.
Será que as palavras “eu e o Pai somos um” provam a Trindade? — João
10:30; 17:21; Mateus 24:36.



14.
Quem era Jesus, de acordo com seus primeiros discípulos? — João 1:29, 34,
41, 49; 6:69; 1 Coríntios 11:3.



15.
Como Deus encarava Jesus? — Marcos 9:7; Lucas 2:9-11.



16.
Será que as Escrituras Gregas (“Novo Testamento”) contradizem as Escrituras
Hebraicas no que diz respeito ao espírito santo ser a força ativa de Deus?
— Mateus 3:11; Lucas 1:41; João 14:26; Atos 1:8; 4:31; 10:38.



17.
Por ocasião do baptismo de Jesus, onde estavam o Pai, o Filho, e o espírito
santo? Eram eles três em um? — Mateus 3:16, 17.



18.
Que posição ocupa Jesus nos céus, após sua ressurreição? — Atos
7:55, 56; Romanos 8:34; Colossenses 3:1; Hebreus 12:2.



19.
Quem deu essa posição enaltecida a Jesus? — Filipenses 2:9-11.



20.
Será que isso torna Jesus a mesma pessoa que Deus, ou o torna o segundo no
Universo, abaixo apenas de Deus? — 1 Coríntios 11:3; Filipenses
2:9-11.



21.
Quem é o Soberano Supremo do Universo? — Deuteronómio 3:24; Atos 4:24-27;
1 Coríntios 15:28.






Abaixo estão alguns dos textos que
respondem às perguntas anteriores:



1. A The Encyclopedia of
Religion admite: “Teólogos hoje em dia concordam que a Bíblia hebraica não
contém uma doutrina da Trindade.” A New Catholic Encyclopedia
também diz: “A doutrina da Santíssima Trindade não é ensinada no V[elho]
T[estamento].”



2. “Escuta, ó Israel: Jeová, nosso Deus,
é um só Jeová.” (Deuteronômio 6:4) “Jeová terá de tornar-se rei sobre toda a
terra. Naquele dia Jeová mostrará ser um só e seu nome um só.” — Zacarias
14:9.



3. “O espírito de Jeová tornou-se ativo
[em Sansão] e as cordas que havia sobre os seus braços vieram a ser como fios
de linho quando abrasados pelo fogo, de modo que seus grilhões se derreteram de
cima das suas mãos.” (Juízes 15:14) “Esta é a palavra de Jeová a Zorobabel,
dizendo: ‘Não por força militar, nem por poder, mas por meu espírito’, disse
Jeová dos exércitos.” — Zacarias 4:6.



4. “O espírito de Jeová se tornou ativo
[em Sansão], de modo que ele o rasgou em dois, assim como se rasga um
cabritinho em dois, e não havia absolutamente nada na sua mão.” (Juízes 14:6)
“Despejarei meu espírito sobre a tua descendência e minha bênção sobre os teus
descendentes.” — Isaías 44:3.



5. “Deves saber e ter a perspicácia de
que desde a saída da palavra para se restaurar e reconstruir Jerusalém até o
Messias, o Líder, haverá sete semanas, também sessenta e duas semanas.
. . . E depois das sessenta e duas semanas o Messias será decepado,
sem ter nada para si mesmo.” — Daniel 9:25, 26.



6. “Assim disse Jeová, o Criador dos céus,
Ele, o verdadeiro Deus, o Formador da terra e Aquele que a fez, Aquele que a
estabeleceu firmemente, que não a criou simplesmente para nada, que a formou
mesmo para ser habitada: ‘Eu sou Jeová, e não há outro.’” — Isaías 45:18.



7. “Lembrai-vos das primeiras coisas de
há muito tempo, que eu sou o Divino e não há outro Deus, nem alguém semelhante
a mim.” — Isaías 46:9.



8. “Não posso fazer nem uma única coisa
de minha própria iniciativa; assim como ouço, eu julgo; e o julgamento que faço
é justo, porque não procuro a minha própria vontade, mas a vontade daquele que
me enviou.” (João 5:30) “Se me amásseis, alegrar-vos-íeis de que vou embora
para o Pai, porque o Pai é maior do que eu.” — João 14:28.



9. “Eu não vim de minha própria
iniciativa, mas aquele que me enviou é real, e vós não o conheceis. Eu o conheço,
porque sou representante dele, e Este me enviou.” — João 7:28, 29.



10.
“Nenhum homem jamais viu a Deus; o deus unigénito, que está na posição junto ao
seio do Pai, é quem o tem explicado.” (João 1:18) “Não é que algum homem tenha
visto o Pai, excepto aquele que é de Deus; este tem visto o Pai.” — João
6:46.



11.
“Dizeis a mim, a quem o Pai santificou e mandou ao mundo: ‘Blasfemas’, porque
eu disse: Sou Filho de Deus?” — João 10:36.



12.
“Se me amásseis, alegrar-vos-íeis de que vou embora para o Pai, porque o Pai é
maior do que eu.” — João 14:28.



13.
“Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o
Filho, mas unicamente o Pai.” (Mateus 24:36) “A fim de que todos [os seguidores
de Jesus] sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união
contigo, para que eles [os seguidores de Jesus] também estejam em união connosco,
a fim de que o mundo acredite que me enviaste.” — João 17:21.



14.
“Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29) “Nós cremos e
viemos a saber que tu és o Santo de Deus.” — João 6:69.



15.
“Uma voz saiu da nuvem: ‘Este é meu Filho, o amado; escutai-o.’” — Marcos
9:7.



16.
“Ao chegar sobre vós o espírito santo, recebereis poder.” (Atos 1:8) “Deus
. . . ungiu [Jesus] com espírito santo e poder.” — Atos 10:38.



17.
Veja a ilustração à esquerda, a pergunta acima e o texto no alto da página 12.



18.
“Olhando atentamente para o Agente Principal e Aperfeiçoador da nossa fé,
Jesus. Pela alegria que se lhe apresentou, ele aturou uma estaca de tortura,
desprezando a vergonha, e se tem assentado à direita do trono de Deus.”
— Hebreus 12:2.



19.
“Por esta mesma razão, também, Deus o enalteceu a uma posição superior e lhe
deu bondosamente o nome que está acima de todo outro nome.” — Filipenses
2:9.



20.
“A cabeça de todo homem é o Cristo; por sua vez, a cabeça da mulher é o homem;
por sua vez, a cabeça do Cristo é Deus.”
— 1 Coríntios 11:3.



21.
“Ó Soberano Senhor Jeová, . . . que deus há nos céus ou na terra que
faça atos iguais aos teus?” (Deuteronómio 3:24) ‘Quando todas as coisas tiverem
sido sujeitas a Jesus, então o próprio Filho também se sujeitará Àquele que lhe
sujeitou todas as coisas, para que Deus seja todas as coisas para com todos.’
— 1 Coríntios 15:28.

são vieira

Mensagens : 578
Data de inscrição : 15/07/2009
Idade : 36
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por Leo Santos em Dom Jul 19, 2009 6:06 pm

Se está nas escrituras que ele se sacrificou, ele se sacrificou.Buscar comprovação histórica lhe coloca no mesmo barco dos auto-intitulados teólogos da libertação, que aliás, não são nada por terem uma aspiração marxista e como marx foi menos que nada...

Leo Santos

Mensagens : 67
Data de inscrição : 08/12/2008
Idade : 42
Localização : Petropolis -RJ

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por são vieira em Dom Jul 19, 2009 6:23 pm

peço desculpa mas não entendi a sua explicação pois o objectivo de fazer estas questões é demonstrar que quem foi sarificado foi Jesus filho unigénito de Deus e que Deus é pai, só, e jesus é filho, só... não tem nada a ver teologias nem filosofias mas o que explanam claramente as escrituras nesse sentido...
atenciosamente

são vieira

Mensagens : 578
Data de inscrição : 15/07/2009
Idade : 36
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por alessandro em Seg Jul 20, 2009 2:57 pm

que confusão! Jesus não é Deus... é o seu filho primogénito e unigénito... foi a sua primeira criação e unico criado diretamente por ele pois a biblia em vários textos mostram que antes de vir á terra jesus foi o mestre de obras de Deus e que ele ajudou seu pai a criar todas as coisas incl«uindo nós humanos...Façamos o homem á nossa imagem de génesis 1: 26 mosta que era mais que uma pessoa a partcipar na criação... daí tb mostre que as coisas ue ele mais gostava era do homem e daí não foi dificil vir á terra perder a vida por nós... mas a diferença entre jesus e Deus é essa: um é pai eterno que não teve principio nem fim e o filho que teve começo: foi criado e continuará a viver para sempre junto de seu pai...a história fala dele, grandes filósofos falam dele, a nossa cultura, senso comum como queiram chamar tem grandes influencias no seu ensino... mais provas? só tendo fé ...

ola caro amigo vieira...

vi em outro tópico que se identificou como católico. no entanto ao defender que Cristo não é Deus encarnado ficou ao lado de uma heresia bastante famosa: o arianismo.

nesse contexto vale lembrar que o credo niceno-constantinopolitano: gerado, não criado, consubstancial ao Pai.

abraços

_________________
Só vale a pena viver pelo que vale a pena morrer!!!
avatar
alessandro
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 750
Data de inscrição : 16/08/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por são vieira em Seg Jul 20, 2009 4:03 pm

peço desculpa mas onde afirmei tal coisa? afirmei sim que já fui considerado como tal mas já não o é assim hoje

são vieira

Mensagens : 578
Data de inscrição : 15/07/2009
Idade : 36
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por alessandro em Seg Jul 20, 2009 9:35 pm

perdão se entendi errado.

de qq forma o arianismo é uma heresia rechaçada nao apenas pelos católicos, mas por todas as denominações cristãs, sejam católicas, ortodoxas ou protestantes.

abraço fraterno

_________________
Só vale a pena viver pelo que vale a pena morrer!!!
avatar
alessandro
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 750
Data de inscrição : 16/08/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por são vieira em Ter Jul 21, 2009 3:59 am

é claro que não é pelas provas que vêm a fé mas é uma ajuda para os mais duvidosos... embora é claro que o mais importante é o Deus nos deixou...
mas o ataque feito ás escrituras ao longo dos séculos tem sido silenciados por provas arqueológicas, históricas e até cientificas entre outros... por tanto não considero tal como arianismo

são vieira

Mensagens : 578
Data de inscrição : 15/07/2009
Idade : 36
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!

Mensagem por Pe. Anderson em Ter Jul 21, 2009 5:53 pm

Caro Sao Vieira,

Afirmar que Jesus Cristo nao é Deus, mas sim um anjo não é uma afirmação bíblica e nem mesmo pode ser considerada uma afirmação cristã. Não há nada mais claro no Novo Testamento que a afirmação de que Jesus Cristo é o Filho de Deus, que é verdadeiro Deus. Tentarei te mostrar isso com a Sagrada Escritura.

Nos Evangelhos:
Em São Marcos lemos no primeiro versículo:

“Princípio do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus.” (1,1);

No Centro do Evangelho lemos:

“Jesus saiu com os seus discípulos para as aldeias de Cesaréia de Filipe, e pelo caminho perguntou-lhes: Quem dizem os homens que eu sou?
Responderam-lhe os discípulos: João Batista; outros, Elias; outros, um dos profetas.
Então perguntou-lhes Jesus: E vós, quem dizeis que eu sou? Respondeu Pedro: Tu és o Cristo.” (8, 27-29)
E no final do Evangelho ainda lemos:
“O véu do templo rasgou-se então de alto a baixo em duas partes. O centurião que estava diante de Jesus, ao ver que ele tinha expirado assim, disse: Este homem era realmente o Filho de Deus.” (15, 38-39).
Nesse Evangelho vemos pois 3 afirmaçoes claras da divindade de Jesus, no início, no meio e no final do Evangelho. Isso lembra o costume bíblico e judaico de se repetir as coisas importantes por 3 vezes. (Veja Is 6, quando se chama a Deus de Santo, Santo, Santo)

Jesus ao afirmar isso estava plenamente consciente da fé monoteísta de Israel. Em certa ocasião, segundo São Marcos ele demonstrou isso claramente:

“Achegou-se dele um dos escribas que os ouvira discutir e, vendo que lhes respondera bem, indagou dele: Qual é o primeiro de todos os mandamentos? Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é este: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor; amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu espírito e de todas as tuas forças. Eis aqui o segundo: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Outro mandamento maior do que estes não existe.”
Com isso Jesus recordava o texto fundamental do monoteísmo bíblico: de Deuteronômio. O Deus que Jesus prega é o mesmo Deus do Antigo Testamento. A esse Deus Ele chama de Pai (Abbá):

“Mas quanto à ressurreição dos mortos, não lestes no livro de Moisés como Deus lhe falou da sarça, dizendo: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó (Êx 3, 6)? Ele não é Deus de mortos, senão de vivos. Portanto, estais muito errados.” (12, 26-27);
Sao Mateus:

Cristo apresenta-se como Filho de Deus: há entre ambos um mútuo conhecimento perfeito. Só é possível haver um conhecimento perfeito entre seres de mesma nautureza.

“Por aquele tempo, Jesus pronunciou estas palavras: Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequenos. Sim, Pai, eu te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Todas as coisas me foram dadas por meu Pai; ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo.” (Mt 11,25-27);
Em outro texto, Jesus manifesta toda a consciência de ser Filho de Deus, o herdeiro, a pedra que os pedreiros rejeitaram:

“Ouvi outra parábola: havia um pai de família que plantou uma vinha. Cercou-a com uma sebe, cavou um lagar e edificou uma torre. E, tendo-a arrendado a lavradores, deixou o país. Vindo o tempo da colheita, enviou seus servos aos lavradores para recolher o produto de sua vinha. Mas os lavradores agarraram os servos, feriram um, mataram outro e apedrejaram o terceiro. Enviou outros servos em maior número que os primeiros, e fizeram-lhes o mesmo. Enfim, enviou seu próprio filho, dizendo: Hão de respeitar meu filho. Os lavradores, porém, vendo o filho, disseram uns aos outros: Eis o herdeiro! Matemo-lo e teremos a sua herança! Lançaram-lhe as mãos, conduziram-no para fora da vinha e o assassinaram. Pois bem: quando voltar o senhor da vinha, que fará ele àqueles lavradores? Responderam-lhe: Mandará matar sem piedade aqueles miseráveis e arrendará sua vinha a outros lavradores que lhe pagarão o produto em seu tempo.” (21,33-41)
No final do Evangelho, os discípulos o adoram como a Deus, ele afirma ter toda autoridade no Céu e na terra e os envia a batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

“Os onze discípulos foram para a Galiléia, para a montanha que Jesus lhes tinha designado. Quando o viram, adoraram-no; entretanto, alguns hesitavam ainda. Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.” (28, 17-20)

No centro do Evangelho de Mateus temos um episódio importantíssimo; Lá Pedro, em nome de toda a Igreja, afirma a verdade da humanidade de Jesus (o Cristo = o Ungido) e a verdadeira divindade de Jesus. Jesus lhe diz que foi o Pai que está nos céus que o revelou e por isso ele passa a ser a pedra sobre a qual a sua Igreja será edificada.

“Chegando ao território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: No dizer do povo, quem é o Filho do Homem? Responderam: Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas. Disse-lhes Jesus: E vós quem dizeis que eu sou? Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo! Jesus então lhe disse: Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus. Depois, ordenou aos seus discípulos que não dissessem a ninguém que ele era o Cristo.” (16, 13-20).

Depois continuaremos citando outros textos do Novo Testamento. Sao muitíssimos, em todos os autores: Joao. Lucas. Paulo, Pedro, no Apocalipse. Aos poucos irei apresentando aqui o texto.

Um grande abraço e continuaremos a discussao.
avatar
Pe. Anderson
Admin

Mensagens : 952
Data de inscrição : 10/09/2008
Idade : 35
Localização : Roma

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por são vieira em Qua Jul 22, 2009 4:02 am

sim, mas concordo plenamente de que Jesus é o filho de Deus... Sem dúvida!!!!!! mas o que não concordo é o ensino que dizem que ambos são o mesmo e não encontro isso na biblia pois assim sendo á certos textos que contradizem tal afirmação... mateus 24: 36,joão 14: 28, ...
o que mostra a inferioridade de Jesus em relação ao conhecimento e se assim não fosse então a biblia se contradizia...mas que a sua personalidade reflectia na perfeição a do seu pai era bem evidente...

e a afirmação de que jesus nos céus era uma anjo a biblia tb o afirma...
Quem é Miguel, o arcanjo?

Obviamente, Miguel é um anjo de destaque. Por exemplo, no livro de Daniel, faz-se uma descrição de Miguel lutando contra demónios perversos, a favor do povo de Jeová. (Daniel 10:13; 12:1) Na carta inspirada de Judas, Miguel enfrenta Satanás em uma disputa sobre o corpo de Moisés. (Judas 9) O livro de Apocalipse mostra que Miguel guerreia contra Satanás e seus demónios, lançando-os fora do céu. (Apocalipse 12:7-9) Nenhum outro anjo é retratado com tão grande poder e autoridade sobre os inimigos de Deus. É natural, portanto, que a Bíblia se refira apropriadamente a Miguel como “o arcanjo”. O prefixo “arc” (ou arqu[e/i]-) significa “o chefe”, ou “o principal”.

Quem é Miguel?

As religiões da cristandade, bem como o judaísmo e o islamismo, têm ideias divergentes quando o assunto são anjos. Algumas explanações são vagas. Por exemplo, The Anchor Bible Dictionary declara: “Pode haver um único anjo superior e/ou um grupo pequeno de arcanjos (em geral quatro ou sete).” De acordo com The Imperial Bible-Dictionary (Dicionário Bíblico Imperial), Miguel é o “nome de um ser sobre-humano, a respeito de quem tem havido, em geral, duas opiniões divergentes: ou ele é o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, ou é um dos chamados sete arcanjos”.

Segundo a tradição judaica, esses sete arcanjos são: Gabriel, Jeremiel, Miguel, Raguel, Rafael, Sariel e Uriel. O islamismo, porém, acredita em quatro arcanjos: Jibril, Mical, Izrail e Israfil. O catolicismo também acredita em quatro arcanjos: Miguel, Gabriel, Rafael e Uriel. E a Bíblia, o que diz? Existem vários arcanjos?

A resposta da Bíblia

Além de Miguel, nenhum outro arcanjo é mencionado na Bíblia. As Escrituras não usam o termo “arcanjo” no plural. A Bíblia descreve Miguel como o arcanjo, indicando que somente ele tem essa designação. Assim, é razoável concluir que Jeová Deus delegou a uma, e somente uma, de suas criaturas celestiais plena autoridade sobre todos os outros anjos.

Além do próprio Criador, fala-se de apenas uma pessoa fiel que tem anjos em sujeição — Jesus Cristo. (Mateus 13:41; 16:27; 24:31) O apóstolo Paulo fez menção específica do “Senhor Jesus” e “seus anjos poderosos”. (2 Tessalonicenses 1:7) E Pedro descreveu o ressuscitado Jesus, ao dizer: “Ele está à direita de Deus, pois foi para o céu; e foram-lhe sujeitos anjos, e autoridades, e poderes.” — 1 Pedro 3:22.

Embora não haja nenhuma declaração na Bíblia que identifique categoricamente Miguel, o arcanjo, como Jesus, há um versículo que faz ligação de Jesus com o cargo oficial de arcanjo. Em sua carta aos tessalonicenses, o apóstolo Paulo profetizou: “O próprio Senhor descerá do céu com uma chamada dominante, com voz de arcanjo e com a trombeta de Deus, e os que estão mortos em união com Cristo se levantarão primeiro.” (1 Tessalonicenses 4:16) Nesse versículo, Jesus é descrito como tendo assumido o poder qual Rei messiânico de Deus. Mas ele fala “com voz de arcanjo”. Observe também que ele tem o poder para levantar os mortos.

Quando esteve na Terra como humano, Jesus ressuscitou várias pessoas. Ao fazer isso, ele usou a voz para pronunciar chamadas dominantes. Por exemplo, quando ressuscitou o filho de uma viúva da cidade de Naim, ele disse: “Jovem, eu te digo: Levanta-te!” (Lucas 7:14, 15) Mais tarde, antes de ressuscitar seu amigo Lázaro, Jesus “clamou com voz alta: ‘Lázaro, vem para fora!’ ”. ( João 11:43) Mas nessas ocasiões, a voz de Jesus era a de um homem perfeito.

Depois de sua própria ressurreição, Jesus foi enaltecido “a uma posição superior” no céu, como criatura espiritual. (Filipenses 2:9) Não sendo mais humano, ele tem a voz de arcanjo. Portanto, quando a trombeta de Deus soou a chamada para ‘os que estavam mortos em união com Cristo’ serem levantados e levados para o céu, Jesus emitiu “uma chamada dominante”, desta vez “com voz de arcanjo”. É razoável concluir que somente um arcanjo chamaria “com voz de arcanjo”.

Há outras criaturas angélicas de ordem superior, como os serafins e os querubins. (Gênesis 3:24; Isaías 6:2) Mas as Escrituras apontam para o ressuscitado Jesus Cristo como o mais importante de todos os anjos — Miguel, o arcanjo.

são vieira

Mensagens : 578
Data de inscrição : 15/07/2009
Idade : 36
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Jesus Cristo é o Filho de Deus, superior aos anjos!

Mensagem por Pe. Anderson em Qua Jul 22, 2009 11:42 am

Caro Vieira,

Vamos continuar apresentando textos que mostram com toda a evidência que Jesus Cristo é superior aos anjos, que é Filho de Deus, preexistente a toda a criaçao. Para responder a essa questao, já no início do cristianismo, foi escrita a carta aos Hebreus, palavra de Deus inspirada e que está de acordo com todo o Novo Tstamento. O primeiro capítulo da Carta já nos diz:

Muitas vezes e de diversos modos outrora falou Deus aos nossos pais pelos profetas. Ultimamente nos falou por seu Filho, que constituiu herdeiro universal, pelo qual criou todas as coisas.Esplendor da glória (de Deus) e imagem do seu ser, sustenta o universo com o poder da sua palavra. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, está sentado à direita da Majestade no mais alto dos céus, tão superior aos anjos quanto excede o deles o nome que herdou. [b]Pois a quem dentre os anjos disse Deus alguma vez: Tu és meu Filho; eu hoje te gerei (Sl 2,7)? Ou então: Eu serei seu Pai e ele será meu Filho (II Sm 7,14)? E novamente, ao introduzir o seu Primogênito na terra, diz: Todos os anjos de Deus o adorem (Sl 96,7). Por outro lado, a respeito dos anjos, diz: Ele faz dos seus anjos sopros de vento e dos seus ministros chamas de fogo (Sl 103,4), ao passo que [b]do Filho diz: O teu trono, ó Deus, subsiste para a eternidade. O cetro do teu Reino é cetro de justiça. Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade. Por isso, ó Deus, o teu Deus te ungiu com óleo de alegria, mais que aos teus companheiros (Sl 44,7s); e ainda: Tu, Senhor, no princípio dos tempos fundaste a terra, e os céus são obra de tuas mãos. [b]Eles passarão, mas tu permaneces. Todos envelhecerão como uma veste; tu os envolvas como uma capa, e serão mudados. Tu, ao contrário, és sempre o mesmo e os teus anos não acabarão (Sl 103,26s). Pois a qual dos anjos disse alguma vez: Assenta-te à minha direita até que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés (Sl 109,1)? Não são todos os anjos espíritos ao serviço de Deus, que lhes confia missões para o bem daqueles que devem herdar a salvação?

Sao Paulo, na Carta aos Efésios expoe a doutrina trinitária, mostrando a excelência de Cristo sobre toda a criaçao, sobre os céus (os anjos) e sobre a terra. Assim começa a Carta aos Efésios:

Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus, aos cristãos de Éfeso e aos que crêem em Jesus Cristo. A vós, graça e paz da parte de [b]Deus, nosso Pai, e da parte do Senhor Jesus Cristo! Bendito seja [b]Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo, e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos. No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade, para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.
Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência. Ele nos manifestou o misterioso desígnio de sua vontade, que em sua benevolência formara desde sempre, para realizá-lo na plenitude dos tempos - desígnio de reunir em Cristo todas as coisas, as que estão nos céus e as que estão na terra. Nele é que fomos escolhidos, predestinados segundo o desígnio daquele que tudo realiza por um ato deliberado de sua vontade, para servirmos à celebração de sua glória, nós que desde o começo voltamos nossas esperanças para Cristo. Nele também vós, depois de terdes ouvido a palavra da verdade, o Evangelho de vossa salvação no qual tendes crido, fostes selados com o Espírito Santo que fora prometido, que é o penhor da nossa herança, enquanto esperamos a completa redenção daqueles que Deus adquiriu para o louvor da sua glória. Por isso também eu, tendo ouvido falar da vossa fé no Senhor Jesus, e do amor para com todos os cristãos, não cesso de dar graças a Deus por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações. Rogo ao Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê um espírito de sabedoria que vos revele o conhecimento dele; que ilumine os olhos do vosso coração, para que compreendais a que esperança fostes chamados, quão rica e gloriosa é a herança que ele reserva aos santos, e qual a suprema grandeza de seu poder para conosco, que abraçamos a fé. É o mesmo poder extraordinário que ele manifestou na pessoa de Cristo, ressuscitando-o dos mortos e fazendo-o sentar à sua direita no céu, acima de todo principado, potestade, virtude, dominação e de todo nome que possa haver neste mundo como no futuro. E sujeitou a seus pés todas as coisas, e o constituiu [b]chefe supremo da Igreja, que é o seu corpo, o receptáculo daquele que enche todas as coisas sob todos os aspectos.

Em Colossenses 1, 13-23 afirma Sao Paulo:


Ele nos arrancou do poder das trevas e nos introduziu no Reino de seu Filho muito amado,
14. no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.
15. Ele é a imagem de Deus invisível, o Primogênito de toda a criação.
16. Nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por ele e para ele.
17. Ele existe antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem nele.
18. Ele é a Cabeça do corpo, da Igreja. Ele é o Princípio, o primogênito dentre os mortos e por isso tem o primeiro lugar em todas as coisas.
19. Porque aprouve a Deus fazer habitar nele toda a plenitude
20. e por seu intermédio reconciliar consigo todas as criaturas, por intermédio daquele que, ao preço do próprio sangue na cruz, restabeleceu a paz a tudo quanto existe na terra e nos céus.
21. Há bem pouco tempo, sendo vós alheios a Deus e inimigos pelos vossos pensamentos e obras más,
22. eis que agora ele vos reconciliou pela morte de seu corpo humano, para que vos possais apresentar santos, imaculados, irrepreensíveis aos olhos do Pai.
23. Para isto, é necessário que permaneçais fundados e firmes na fé, inabaláveis na esperança do Evangelho que ouvistes, que foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, fui constituído ministro.

Tudo isso está de acordo com os Evangelhos, que declaram os anjos como criaturas de Deus, servidores de Cristo. Daremos alguns exemplos:

Em Sao Mateus, 25, 31-46 vemos Jesus como superior a todos os anjos, o único capaz de julgar a todos os povos; Ele está sentado no trono de Deus (imagem que reaparecerá no Apocalipse). É um Rei e Pastor, o Pastor de Israel, que cumpre as profecias feitas ao rei David:

[
justify]Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso.
32. Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos.
33. Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.
34. Então o Rei dirá aos que estão à direita: - Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo,
35. porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes;
36. nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim.
37. Perguntar-lhe-ão os justos: - Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber?
38. Quando foi que te vimos peregrino e te acolhemos, nu e te vestimos?
39. Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar?
40. Responderá o Rei: - Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes.
41. Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: - Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos.
42. Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber;
43. era peregrino e não me acolhestes; nu e não me vestistes; enfermo e na prisão e não me visitastes.
44. Também estes lhe perguntarão: - Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, peregrino, nu, enfermo, ou na prisão e não te socorremos?
45. E ele responderá: - Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que deixastes de fazer isso a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer.
46. E estes irão para o castigo eterno, e os justos, para a vida eterna.[/justify]
Em Sao Lucas, no texto das tentaçoes de Jesus lemos:

O demônio levou-o ainda a Jerusalém, ao ponto mais alto do templo, e disse-lhe: Se és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo;
porque está escrito: Ordenou aos seus anjos a teu respeito que te guardassem. E que te sustivessem em suas mãos, para não ferires o teu pé nalguma pedra (Sl 90,11s.). Jesus disse: Foi dito: Não tentarás o Senhor teu Deus (Dt 6,16).


Esse texto vemos o Demonio como intérprete da Sagrada Escritura. Ele também a conhecia e a distorsia segundo suas idéias particulares. Nesse texto o demonio sabe que os anjos devem servir ao Filho de Deus. Jesus o responde afirmando sua divindade claramente: nao tentarás o Senhor teu Deus.


Creio que as Sagradas Escrituras nao sao nada ambíguas, afirmam claramente a divindade de Jesus. De fato essa é a fé crista permanente ao longo de todos os séculos. Podemos mostrar isso facilmente pela história. Um grande abraço.
avatar
Pe. Anderson
Admin

Mensagens : 952
Data de inscrição : 10/09/2008
Idade : 35
Localização : Roma

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

A Fé cristã

Mensagem por Pe. Anderson em Qua Jul 22, 2009 11:52 am

Caros amigos,

Os bilhoes de cristaos, presentes em todas as partes do mundo, (hoje somos aproximadamente bilhoes) juntamente com os que nos precederam, (e com os que nos sucederao), afirmam sem cessar a fé na divindade de Jesus. Os cristaos afirmam sem dúvidas o Credo Niceno-constatinopolitano, elaborado nos Concílios de Nicéia (ano 325) e Constatinopla (ano 381). Os cristaos sao os católicos, os ortodoxos, as igrejas orientais antigas, os protestante tradicionais. Todos os cristaos conhecem a Sagrada Escritura, procuram viver de acordo com os seus ensinamentos, e em muitíssimos casos, deram a vida por essa fé. A fé aceita pelos cristaos de todos os tempos diz:

Creio em um só Deus,
Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra,
de todas as coisas visíveis e invisíveis.

Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigênito de Deus,
gerado do Pai
antes de todos os séculos:
Deus de Deus,
Luz da luz,
verdadeiro Deus de verdadeiro Deus,
gerado, não feito,
da mesma substância do Pai.


Por Ele todas as coisas foram feitas.

E, por nós, homens,
e para a nossa salvação,
desceu dos céus:
Se encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria,
e se fez homem.

Também por nós foi crucificado
sob Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.

Ressuscitou dos mortos ao terceiro dia,
conforme as Escrituras;
E subiu aos céus,
onde está assentado à direita de Deus Pai.

Donde há de vir, em glória,
para julgar os vivos e os mortos;
e o Seu reino não terá fim.

Creio no Espírito Santo,
Senhor e fonte de vida,
que procede do Pai (e do Filho);
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado:
Ele falou pelos profetas.

Creio na Igreja
Una, Santa, Católica e Apostólica.
Confesso um só batismo
para remissão dos pecados.

Espero a ressurreição dos mortos;
E a vida do mundo vindouro.
Amém.

Esse Credo é uma interpretaçao autorizada dos textos bíblicos. Foi elaborado pelos líderes da Igreja reunidos em um Concílio sob a guia do Espírito Santo. Pois o Senhor prometeu: "eis que estarei convosco todos os dias até o final do mundo". Cremos que essa Palavra do Senhor é verdadeira, que a Igreja nao pode falhar quando ensina uma verdade de fé e de moral. Essa infalibilidade nao vem dos homens falhos e pecadores, mas sim é um dom de Deus, que guia a Igreja por meio do seu Espírito. É necessário ser muito temerário para crer que bilhoes de homens presentes em toda a história e em todos os tempos, desconheceram a Palavra de Deus e que todos se equivocaram na sua interpretaçao. Nós católicos preferimos ser mais humildes e agradecidos com os que nos precederam e deram suas vidas pela fé.

Um grande abraço e que Deus abençoe a todos.
avatar
Pe. Anderson
Admin

Mensagens : 952
Data de inscrição : 10/09/2008
Idade : 35
Localização : Roma

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por são vieira em Qua Jul 22, 2009 1:02 pm

mas é interessante que no credo se espera no mundo que á de vir... o que foi perdido por adão, certo'
e se faz distinção de um só Deus, o criador e de Jesus , um só senhor...

são vieira

Mensagens : 578
Data de inscrição : 15/07/2009
Idade : 36
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por Pe. Anderson em Qua Jul 22, 2009 1:05 pm

Exatamente. Esperamos o mundo futuro, a vida verdadeira juntos de Deus, que nos é dada já em participaçao nessa vida pela fé, esperança e caridade (1 Cor 13). Há um só Deus, que é Pai, Filho (Deus de Deus, Luz de Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, consubstancial ao Pai) e Espírito (que é Senhor que dá a vida).

Um abraço.
avatar
Pe. Anderson
Admin

Mensagens : 952
Data de inscrição : 10/09/2008
Idade : 35
Localização : Roma

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por Rafaela Botelho em Qua Jul 22, 2009 4:09 pm

Olá

Eis uma composição de São João da Cruz em parceria com nossa amada Madre Kelly Patrícia...

No princípio morava o Verbo e em Deus vivia,
nele sua felicidade infinita possuía
O mesmo Verbo Deus era e o princípio se dizia
Ele morava no princípio e princípio não havia
Ele era o mesmo princípio, por isso d’Ele carecia.
O Verbo se chama Filho, pois do princípio nascia.
Ele sempre O concebeu, e sempre O conceberia.
Dá-Lhe sempre sua substância e sempre a conservaria.
E assim a glória do Filho é a que no Pai havia
E toda a glória do Pai no Seu Filho a possuía
.
Como Amado no Amante, um no outro residia
E esse Amor que Os une no mesmo coincidia.
Et Verbum caro factum est.

... O Verbo se chama Filho pois do Princípio nascia.

Ainda restam dúvidas?

Fiquem com Deus
Very Happy
avatar
Rafaela Botelho
Acolhedora

Mensagens : 530
Data de inscrição : 03/10/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por David em Ter Set 29, 2009 12:02 pm

Olá amigos... Paz do Senhor a todos.

Pelo visto, temos um Testemunha de Jeová aqui... PAra esclarecer, eles acreditam que Jesus e o arcanjo MIguel são as mesmas pessoas!

Mas se Jesus é uma criatura, é um ser criado, então temos grandes problemas na Escritura. Pois lemos claramente que Deus não reparte sua glória com a criatura!


Isaías 42:8 - Eu sou YHWH; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outro não darei

Ora, amados, se lembrarmos da "fórmula" do batismo, tal qual foi ordenada por Jesus Cristo, há uma "divisão" nessa glória, há uma "divisão" na honra... Pois todos devem ser batizados não apenas no Nome de Deus, o Pai... Para os trinitários não há problemas nessa passagem, pois que sabem que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são o mesmo Deus. Assim, sabem que não há divisão da glória, não há divisão da honra, pois que somente Deus está sendo honrado e glorificado, ali no batismo... Mas, para quem acredita que Jesus foi criado, há sim uma divisão da honra, pois que da mesma forma que o indivíduo é batizado "em Nome do Pai", também o é "em Nome do Filho". Ou seja, o FIlho, a suposta "criatura" está em IGUALDADE ao Pai, ali na "fórmula" batismal... Assim, quem acredita que Jesus é criatura, tem de admitir que a "criatura" está sendo honrada, está sendo glorificada em IGUALDADE ao Pai, ali no momento do BATISMO!

Muitos do que afirmam que Jesus é criatura, citam o fato de que a oração deve ser 'endereçada" ao Pai, em Nome de Jesus. Mas, vamos a Escritura para vermos o que ela diz:

João 14:14
E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.


Ora, há contradição no texto de João com algum outro texto escriturístico? Não, não há... A oração deve ser dirigida a Deus, em Nome de Jesus, a oração deve ser dirigida a Deus em nome do Sacrifício oferecido lá no Calvário!. Assim, o que concluímos é que o FILHO é Deus, amados!

Em uma outra ocasião, Jesus disse:


Joa 2:19
Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei.


Esse "templo" a que se referia Jesus era o Seu Próprio Corpo! Ele dizia que Ele mesmo iria ressuscitar a si Próprio!

Joa 10:17 - Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la.

Ora, amado, esse mesmo "templo" que Jesus dizia que iriam "derribá-lo", estará novamente aqui na terra, um dia!


Apo 21:3 - E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.

Esse "templo", esse "tabernáculo" acima, não é uma construção de barro, mas é uma REFERÊNCIA a "DEUS CONOSCO" ao Emanuel! Afinal, ninguém pode ser povo de um tabernáculo de barro e cimento! Este é o mesmo "templo" que Jesus fez referência em João 2:19, dizendo que iriam "derribá-lo" e que ele iria levantá-lo em três dias!

Jesus é DEUS CONOSCO, amado. São referidos a Ele, elementos que pertencem só a Deus! É por isso que Ele pode estar em todas as partes do mundo, onde estiver dois ou três reunidos em Nome dEle, pois que Ele tem o atributo da ONIPRESENÇA.

Mat 18:20 - Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.

LEmbre disso... Deus não REPARTE sua GlÓRIA COM A CRIATURA!


Em Cristo


David
avatar
David

Mensagens : 192
Data de inscrição : 29/09/2009
Localização : Brasil

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por são vieira em Ter Set 29, 2009 3:34 pm

Segundo o Credo de Atanásio, há três pessoas divinas (o Pai, o Filho e o Espírito Santo), sendo cada um destes, alegadamente, eterno, todo-poderoso, não sendo nenhum maior ou menor do que o outro, sendo cada um deles, alegadamente, Deus, e, não obstante, juntos um só Deus. Outras afirmações sobre esse dogma sublinham que estas três “Pessoas” não são entes separados e distintos, mas três formas nas quais existe a essência divina. Assim, alguns trinitários enfatizam sua crença de que Jesus Cristo é Deus ou de que Jesus e o Espírito Santo são Deus

muito bem mas continuo a refutar tal ideia pois se jesus é Deus entra em contradição as proprias escrituras... se ambos têm o mesmo poder e conhecimento porque são um, segundo a vossa doutrina... então não fazem sentido estes textos que cito:

o filho sempre foi submisso a seu pai e nunca quis ser igual a ele

(João 5:36) . . .Mas, eu tenho o testemunho maior do que o de João, porque as próprias obras que meu Pai me determinou efetuar, as próprias obras que eu faço, dão testemunho de mim de que o Pai me mandou.

(João 14:28) . . .o (João 5:30) . . .Não posso fazer nem uma única coisa de minha própria iniciativa. . .

(Filipenses 2:6) . . ., não deu consideração a uma usurpação, a saber, que devesse ser igual a Deus. . .

(João 12:28) . . .Pai, glorifica o teu nome.” Saiu, portanto, uma voz do céu: “Eu tanto [o] glorifiquei como [o] glorificarei de novo. . .

se fossem um precisava ele de orar a Deus?

se fossem um não teriam o mesmo conhecimento?

(Mateus 24:36) . . .“Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente o Pai.

são vieira

Mensagens : 578
Data de inscrição : 15/07/2009
Idade : 36
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teria Cristo realmente se sacrificado?

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum