Porquê a divisão no Cristianismo?

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por Fabricio em Ter Maio 08, 2012 7:19 am

Pois é,

Vejo que o senhor toma para si uma autoridade que não lhe pertence, fazendo um julgamento que não lhe é permitido. Classifica a si mesmo como justo e a mim como pecador. Quanto a isso, recordemos as palavras do apóstolo:

"De nada me acusa a consciência; contudo, nem por isso sou justificado. Meu juiz é o Senhor.Por isso, não julgueis antes do tempo; esperai que venha o Senhor. Ele porá às claras o que se acha escondido nas trevas. Ele manifestará as intenções dos corações. Então cada um receberá de Deus o louvor que merece." (I Coríntios, 4:4-5)

Ora, meu caro, se nem mesmo São Paulo contava-se entre os justos, o que lha dá o direito de ter-se a si próprio nessa conta? Não queira tomar o lugar de Deus fazendo um julgamento que só cabe a Ele. Tanto o meu quanto o seu juíz é Deus, e não o senhor eleito...

Fabricio

Mensagens : 446
Data de inscrição : 04/02/2011
Localização : Fabricio

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por VitorA em Qua Maio 09, 2012 8:02 am

"Fabricio"]Pois é,

Vejo que o senhor toma para si uma autoridade que não lhe pertence, fazendo um julgamento que não lhe é permitido. Classifica a si mesmo como justo e a mim como pecador. Quanto a isso, recordemos as palavras do apóstolo:

"De nada me acusa a consciência; contudo, nem por isso sou justificado. Meu juiz é o Senhor.Por isso, não julgueis antes do tempo; esperai que venha o Senhor. Ele porá às claras o que se acha escondido nas trevas. Ele manifestará as intenções dos corações. Então cada um receberá de Deus o louvor que merece." (I Coríntios, 4:4-5)

Ora, meu caro, se nem mesmo São Paulo contava-se entre os justos, o que lha dá o direito de ter-se a si próprio nessa conta? Não queira tomar o lugar de Deus fazendo um julgamento que só cabe a Ele. Tanto o meu quanto o seu juíz é Deus, e não o senhor eleito...

Pois é Fabício, não entendes mesmo nada das escrituras,só de tradições de homens privados da verdade.

Não vês que a passagem que tu usas,se levanta contra ti,Paulo não se considerava justo pelas obras,no entanto ele já era justo por Fé,Rom.5:1,Claro que as obras só serão reveladas diante do tribunal de Cristo.

A consciência de Paulo não o acusava,porque ele estava andando zelosamente nos caminhos de DEUS,mas nem por isso se considerava justificado(por obras)apesar de ser justo.

Agora existem muitos a quem a consciência não acusa,não por estarem justificados,mas por terem a consciência corrompida,por falta da verdadeira justiça,a qual DEUS não dá,aos que rejeitam a sua palavra,para seguirem preceitos de homens. percebeste? Claro que não!!
avatar
VitorA

Mensagens : 51
Data de inscrição : 16/03/2012
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por Fabricio em Qua Maio 09, 2012 8:40 pm

VitorA,

Sua interpretação está demasiadamente equivocada.
O senhor tenta refutar minha colocação com uma passagem da carta de Romanos, carta essa que foi uma das mais deturpadas pelos hereges. Diz o verso que o senhor cita:

"Justificados, pois, pela fé temos a paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo." (Romanos, 5:1)

Ora, o que se entende aqui? É tão somente que a fé justifica, o que é completamente diferente de considerar-me a mim mesmo justificado. Veja bem, meu caro, se eu digo que os tuberculosos são curados pela penicilina, isso não quer dizer que todos os tuberculosos já estejam automaticamente curados, antes é preciso ministrar-lhes a droga.

Mas vamos lá, vamos analisar a primeira carta aos Coríntios para ver o quanto equivocada é sua interpretação. A passagem que citei não fala absolutamente nada sobre justificação por obras ou por fé, sinceramente o senhor precisou fazer muito malabarismo, e acabou colocando as coisas de forma bem confusa. Diz o senhor:

A consciência de Paulo não o acusava,porque ele estava andando zelosamente nos caminhos de DEUS,mas nem por isso se considerava justificado(por obras)apesar de ser justo.

Vê, meu caro, como o senhor mesmo se contradiz! Acabaste de reconhecer que São Paulo não se considerava justificado. Para tentar encaixar o verso ao seu erro, o senhor põe a palavra 'obras' entre parênteses, mas esquece-se que esta palavra não aparece em momento nenhum no capítulo 4 da referida carta...

Meu caro, a passagem que citei fala tão somente de homens que colocam-se acima de outros, de soberba, de julgamentos pretensiosos, mais precisamente fala do fato de alguns homens fazerem-se juízes. Vejamos o que diz o apóstolo no verso anterior:

"A mim pouco se me dá ser julgado por vós ou por tribunal humano, pois nem eu me julgo a mim mesmo." (I Coríntios, 4:3)

Veja que o apóstolo condena o julgamento dos homens. E, sendo também ele homem, também conta-se como incapaz de julgar mesmo a si próprio. Daí continua:

"De nada me acusa a consciência; contudo, nem por isso sou justificado. Meu juiz é o Senhor." (I Coríntios, 4:4)

Ou seja, mesmo que não encontre culpa em si próprio, o apóstolo não se coloca como justificado, pois caso o fizesse seria juíz de si mesmo, o que ele acabara de condenar no verso 3. E para corroborar esta colocação, termina o apóstolo dizendo: "Meu juíz é o Senhor". Ou seja, só o Senhor pode dizer se ele é ou não é justificado. Daí poderiam indagar-me:
"Ora, mas pela fé, Paulo já poderia considerar-se justo".
Errado! Vejamos como responde o próprio apóstolo nos versos subseqüentes:

"Por isso, não julgueis antes do tempo; esperai que venha o Senhor." (I Coríntios, 4:5)

Ou seja, é preciso esperar a vinda do Senhor. Não podemos nos antecipar ao julgamento Dele. Somente a Ele cabe a tarefa de separar os homens entre justos e ímpios.

O apóstolo tinha plena consciência de que, enquanto estivesse preso a vida terrena, ainda não tinha conquistado a vida eterna, portanto não podia considerar-se salvo:

"Anseio pelo conhecimento de Cristo e do poder da sua Ressurreição, pela participação em seus sofrimentos, tornando-me semelhante a ele na morte, com a esperança de conseguir a ressurreição dentre os mortos. Não pretendo dizer que já alcancei (esta meta) e que cheguei à perfeição. Não. Mas eu me empenho em conquistá-la, uma vez que também eu fui conquistado por Jesus Cristo. Consciente de não tê-la ainda conquistado, só procuro isto: prescindindo do passado e atirando-me ao que resta para a frente." (Filipenses, 3:10-13)

Enfim, pode ser que eu tenha gasto meu tempo à toa. É bem provável que o senhor discorde de tudo o que eu disse aqui, tomando sua interpretação como verdadeira e a minha como falsa. Temos um impasse: nem eu lhe convenço do seu erro, nem o senhor me convence do meu. Eu propus recorremos a uma terceira fonte, que seriam os os testemunhos dos primeiros cristãos. Esta fonte corrobora o que escrevi e rejeita totalmente sua doutrina. Pois bem, até agora o senhor não me mostrou nenhuma boa razão para que se rejeite todo o ensinamento transmitido pelos apóstolos através da Igreja e abrace sua doutrina, apenas disparou sofismas descabidos, dizendo que dou valor à ensinamentos humanos (ora, como se o senhor também não fosse homem...). Porém, veja bem, a doutrina da Igreja apoia-se nas Escrituras, na Tradição e no Magistério. A sua doutrina apoia-se somente na sua imaginação. Desculpe, meu caro, não dá para trocar!





Fabricio

Mensagens : 446
Data de inscrição : 04/02/2011
Localização : Fabricio

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por Lucas B. em Qui Maio 10, 2012 1:10 pm

Resolvi tomar parte do tópico por observar que alguns comentários são uma verdadeira palhaçada (não têm a mínima graça, apenas são ridículos do ponto de vista de argumentação racional), além de constatar uma fuga do tema ao que proponho um retorno:
Porquê a divisão no Cristianismo?
Se o cristianismo é a mensagem de Cristo.
Porque existem tantas denominações diferentes,com ensinos contraditórios?
Aqui há uma consideração equivocada, o Cristianismo não é stricto sensu a mensagem de Cristo e sim a vivência dessa mensagem, ora isso por si só já responderia a questão: como essa vivência é exercida por homens que tendem inváriavelmente a concepções diferenciadas de um mesmo conceito, logo essa vivência também será diferenciada. Isso é primordial à existência do mesmo, tanto que os primeiros relatos de comunidades Cristãs já trazem o elemento divergente como em At 15,1:
Alguns homens, descendo da Judéia, puseram-se a ensinar aos irmãos o seguinte: Se não vos circuncidais, segundo o rito de Moisés, não podeis ser salvos.
Originou-se então grande discussão de Paulo e Barnabé com eles, e resolveu-se que estes dois, com alguns outros irmãos, fossem tratar desta questão com os apóstolos e os anciãos em Jerusalém.
Aqui aproveito para fazer a consideração de nossa Doutrina Católica, segundo a qual o que impediu que grande parte da Cristandade se dividisse nesse episódio foi a exitência de um elemento objetivo de Autoridade em Doutrina: a apreciação Apostólica e o primado de Pedro sendo esse o Concílio de Jerusalém.
Não obstante houveram novas dissensões que ignoraram qualquer autoridade posteriormente seguindo suas próprias concepções, e isso deriva até hoje.
De qualquer forma não é algo exclusivo ao Cristianismo, por exemplo denominamos Islamismo aos seguidores dos ensinamentos do Islã, e Judaísmo aos da Torá, mas há diferentes concepções dentro do mesmo termo por exemplo xiitas e sunitas, Judeus Ortodoxos ou não etc.
Enfim porque a divisão no Cristianismo?
Porque ele é exercido por homens e é natural dos mesmos a diferença de opiniões e discordância. O que pode ser totalmente diferente da Mensagem de Cristo que pode ser considerada em unidade, mas a mesma inváriavelmente deve passar pela apreciação humana. Fim da questão.

Esclarecimentos:
Apesar do tópico, o próprio criador e muitos outros não se propuseram a emitir opinião sobre o tema, o que já era esperado visto essa ser uma estratégia de algumas crenças, levantar questões sobre as quais não se deseja debater e sim ressaltar as diferenciações para realizar proselitismo e ataques gratuitos como podemos constatar em:
Ultimamento tem-me dado um gozo falar com catolicos sobre Deus.
Na verdade eles nada sabem...
...Eleito,nenhum deles deseja ir a Deus e na verdade eles nao amam o Pai como nós amamos.
Sinceramente pode haver desejo de debate se a pessoa se regozija em falar com quem considera nada saber?
Certamente deve ser muito confortável, talvez só assim você se considere "sabido" falando entre "ignorantes".
De minha parte se comento é porque considero que tanto os leitores quanto os interlocutores "sabem" alguma coisa, pois no momento em que pensar diferente deixarei de considerar qualquer utilidade em debater (pode ter alguma utilidade um homem dialogar com uma tartaruga?)

Ao Sr. Criador do tópico, continuamos esperando sua contribuição para o tema, porque a divisão no Cristianismo?

Estará Cristo dividido?-1ªcor.1:13

Os Mórmon, dizem-se cristãos, mas afirmam ter o outro evangelho de jesus Cristo,exclusivo para eles,negando assim,que a Biblia está completa.
As testemunhas de Jeová,negam que o nome de jesus, é o único nome de salvação e que a salvação é pelo nome de Jeová.
Os Adventistas,dizem-se cristãos, afirmam que a garantia da salvação está,em guardar os dez mandamentos da lei de Moisés e o sábado,coisas que nem o próprio Jesus guardava,por isso o mataram.
Os católicos,dizem-se cristãos,mas negam Jesus como único caminho para DEUS,invocando os seus milhares de santos,já falecidos,além da prática da idolatria,condenável tanto no velho como no novo testamento.
A maioria dos protestantes,negam a salvação pela Graça,dizendo que Ela se pode perder pelas obras,usam a velha aliança,de Moisés,para poderem exigir do povo os dízimos e ofertas especiais.
Isto são os Grandes nomes religiosos, dos chamados Cristãos.
Poderá o Cristão ser contra as palavras de CRISTO?
Será que DEUS não tem PALAVRA,permitindo que o anunciem, cada um á sua vontade?
O que é tudo isso senão sua própria concepção do que professa cada crença? Por acaso há obrigatoriedade de sua concepção ser o árbitro da questão? Há por acaso espaço em tal para exposição do que cada uma teria sobre si própria e sobre as demais, do contrário se temos que aceitar e partir do seu pressuposto tem como haver debate? Claro que não.
Olá administrador...
Onde posso ter acesso à doutrina católica? Não é a que pregam nas igrejas?
Dizem que uma coisa é o que se vê fazer, e outra a doutrina (o que só por si é mau sinal mas pronto), e que por isso não os devo julgar por isso.
Na verdade você já julgou: (o que só por si é mau sinal mas pronto)
Mas eu é que não vou lhe julgar por isso, se é bom ou mal, cada um é livre para considerar o que quiser, o que não quer dizer automáticamente que seja a Verdade.
A Doutrina Católica pode ser encontrada sintetizada no Catecismo da Igreja Católica, e sim deverá ser pregada na Igreja. No entanto, por acaso é a Igreja diferente de todo o resto? Também não possui o elemento humano com todas as suas fraquezas e o seu livre arbítrio para o bem ou para o mal? Me regozija saber que esperam que sejamos mesmo perfeitos.
Mas é nisso que está o que consideramos o "trunfo":
A Doutrina pode ser separada da sua prática, um Sacerdote mesmo como Ministro de Cristo pode errar e mesmo assim não estar comprometida a mesma? Sim, pois há um elemento de unidade que a torna explicita, ele é dogmatica isto é, possui limites definidos entre o que é e o que não é, ela está declarada independente e individualmente do indivíduo, e por fim possui elementos de arbitragem que zelam por sua inalteração, o Magistério e o Papa.
Agora consideremos o contrário:
É uma regra definida baseada em suas excessões?
Se eu digo que a minha Doutrina é a Escritura e não que está contida na Escritura, estou induzindo o fiel ao erro, pois ele está seguindo UMA CONCEPÇÃO DA ESCRITURA seja de seus líderes seja de si mesmo, o que não pode lhe dar certeza de Verdade, pois a mesma palavra está aberta a diferentes interpretações, se não há o que arbitre entre as mesmas como definir quem está certo ou errado?
Se está escrito flor amarela. A pode considerar que estou falando de girassol, B de rosas, C de tulipas, D de todas, E de nenhuma pois em sentido alegorico e por aí vai.
Agora se não há essa separação entre o que é Doutrina e o que é prática, tenho que considerar automaticamente tudo que se pratica como doutrina, assim se qualquer "irmão" aceitou Jesus e saiu matando e roubando, ele está "representando a doutrina", há logica nisso? Claro que não, mas sabemos que certas acusações só cabem ao que parece à Igreja Católica não? Quanta parcialidade, ou devo dizer obstinação?
O verdadeiro Cristianismo nunca foi dividido,porque nunca usou placa de igreja. Os filhos de Deus,adoram o Pai espiritualmente,por esse motivo tambem espiritualmente sao chamados para o Pai.
Isto se chama Cristianismo subjetivo, isto é: mais uma vez elege-se a própria concepção como árbitro da verdade, cada um pode acreditar que está a adorar o Pai em espírito e verdade, infelizmente nunca se poderá falar nesse caso em indivisível visto que não há sequer união, se não mostre-nos como são uníssonos os adoradores em espírito e verdade sem "placa"? Estes são os que estão verdadeiramente a deriva, não se prendem a nada nem mesmo em definir-se, subjetivismo puro.

Por fim nos atamos ao tema proposto

Os católicos,dizem-se cristãos,mas negam Jesus como único caminho para DEUS,invocando os seus milhares de santos,já falecidos,além da prática da idolatria,condenável tanto no velho como no novo testamento.
Se for para discutir as diferenciações:
Mediação de Cristo - há um tópico para isso.
Intercessão dos Santos - há um tópico para isso.
Iconoclastia - há um tópico para isso.
No fundo a maioria dos debates com algumas crenças diferentes geralmente tende a reduzir-se a:
Salvação pela Fé e/ou Sola Scriptura
E também há tópicos específicos para isso aqui.

Contribuam então com sua concepção de porque há divisão no Cristianismo, desde que ela não se reduza apenas a trivialidade de acusar os Católicos de serem o "mal" do mundo, isso não é argumentar.

Vinde Senhor Jesus!

Lucas B.

Mensagens : 95
Data de inscrição : 03/05/2012
Localização : Brasil

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por VitorA em Sex Maio 11, 2012 8:33 am

Os Mórmon, dizem-se cristãos, mas afirmam ter o outro evangelho de jesus Cristo,exclusivo para eles,negando assim,que a Biblia está completa.
As testemunhas de Jeová,negam que o nome de jesus, é o único nome de salvação e que a salvação é pelo nome de Jeová.
Os Adventistas,dizem-se cristãos, afirmam que a garantia da salvação está,em guardar os dez mandamentos da lei de Moisés e o sábado,coisas que nem o próprio Jesus guardava,por isso o mataram.
Os católicos,dizem-se cristãos,mas negam Jesus como único caminho para DEUS,invocando os seus milhares de santos,já falecidos,além da prática da idolatria,condenável tanto no velho como no novo testamento.
A maioria dos protestantes,negam a salvação pela Graça,dizendo que Ela se pode perder pelas obras,usam a velha aliança,de Moisés,para poderem exigir do povo os dízimos e ofertas especiais.
Isto são os Grandes nomes religiosos, dos chamados Cristãos.
Poderá o Cristão ser contra as palavras de CRISTO?
Será que DEUS não tem PALAVRA,permitindo que o anunciem, cada um á sua vontade?


Lucas escreveu:
O que é tudo isso senão sua própria concepção do que professa cada crença? Por acaso há obrigatoriedade de sua concepção ser o árbitro da questão? Há por acaso espaço em tal para exposição do que cada uma teria sobre si própria e sobre as demais, do contrário se temos que aceitar e partir do seu pressuposto tem como haver debate? Claro que não.


Olá Lucas

Vejo que você é homem de sabedoria,porém sabedoria deste mundo, a qual dizia são Paulo,só serve para tornar a cruz de Cristo em algo vão.1Cor.1 :17

Mas nessa sua sabedoria,devia reconhecer que eu falo a verdade,quando apresento o texto acima, talvez se não estivesse aí a sua igreja,você estaria me elogiando pelo texto, isso só mostra a sua parcialidade,em relação á verdade.

Quanto a ser árbitro no assunto, esse é o meu dever como Cristão, lembrando as palavras de Jesus( Não julgueis segundo a aparência,mas JULGAI segundo a reta Justiça)

E essa é a grande diferença entre a igreja católica, e os CRISTÃOS;porque vocês gloriam-se,que têm 2000 anos,gloriam-se nos vossos ilustres(só haverá ilustres na vossa igreja?)gloriam-se em templos,em multidões,enfim
O problema é que a vossa glória,assim como das outras religiões mencionadas,é meramente humana,sem valor algum em relação a DEUS, ainda mais que tão grande Glória, não é mais do que tão Grande Pecado.
Porque aquilo que é elevado diante dos homens ,é ABOMINAÇÃO diante de DEUS.


Você escreveu:

Se for para discutir as diferenciações:
Mediação de Cristo - há um tópico para isso.
Intercessão dos Santos - há um tópico para isso.
Iconoclastia - há um tópico para isso.
No fundo a maioria dos debates com algumas crenças diferentes geralmente tende a reduzir-se a:
Salvação pela Fé e/ou Sola Scriptura
E também há tópicos específicos para isso aqui.


Pois é lucas,existe mesmo tópicos para isso, o problema é que a INQUISIÇÃO ainda está em vigor, e nós os Cristãos foi-nos vedado o acesso,foi-nos gentilmente imposto que falássemos,apenas aqui.

Fui ao tópico do ricardo gabriel, sobre oração,para deixar um pedido em favor do Fabrício,mas não foi possível entrar.( possivelmente também já não tem cura)Pois agora compara a obra de justiça de DEUS á penicilina.

Fabrício ecreveu
Ora, o que se entende aqui? É tão somente que a fé justifica, o que é completamente diferente de considerar-me a mim mesmo justificado. Veja bem, meu caro, se eu digo que os tuberculosos são curados pela penicilina, isso não quer dizer que todos os tuberculosos já estejam automaticamente curados, antes é preciso ministrar-lhes a droga

Olá Fabricio, ainda não respondeste ás 12 perguntas do carlosB,eu agora não tenho tempo, depois te responderei,as melhoras.



avatar
VitorA

Mensagens : 51
Data de inscrição : 16/03/2012
Localização : portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por Fabricio em Sex Maio 11, 2012 9:43 pm

Senhor VitorA,

Custa-me acreditar que o senhor realmente leu a colocação do LucasB.

Quanto às perguntas do senhor CarlosB, conforme falei antes, já estão todas respondidas no fórum. Se o senhor tiver um sincero desejo de saber a resposta destas perguntas, envie-as para mim no modo privado que lhe ajudarei no que for possível, mas se quiseres apenas fazer proselitismo, é melhor encerramos por aqui.

Enfim, vou tentar ser o mais breve possível para encerrar de vez este debate (que há muito se desvirtuou, como bem lembrou o LucasB).

A questão é a seguinte: nós lhe apresentamos nosso entendimento do Evangelho, o qual o senhor não concordou. Paciência! Também não concordamos com uma linha sequer do seu entendimento do Evangelho. Resultado: chegamos a um impasse. Para resolver esta questão, nós propusemos recorrer aos testemunhos patrísticos, daqueles que foram discípulos diretos dos apóstolos. Pois bem, mostramos que essa fonte corrobora nosso entendimento. O senhor, além de não aceitar nossa proposta para resolver o impasse, não apresentou nada de novo, apenas coloca o seu entendimento como verdade simplesmente porque é o seu entendimento. Desculpe, meu caro, mas assim não dá para continuar debatendo...

Fabricio

Mensagens : 446
Data de inscrição : 04/02/2011
Localização : Fabricio

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por Lucas B. em Sab Maio 12, 2012 12:47 am

Vejo que você é homem de sabedoria,porém sabedoria deste mundo, a qual dizia são Paulo,só serve para tornar a cruz de Cristo em algo vão.1Cor.1 :17
Baseado em quê julgas minha sabedoria como deste mundo? Pelo simples fato de não concordar com você?
Mas nessa sua sabedoria,devia reconhecer que eu falo a verdade,quando apresento o texto acima, talvez se não estivesse aí a sua igreja,você estaria me elogiando pelo texto, isso só mostra a sua parcialidade,em relação á verdade.
Vejamos o que é parcialidade quanto à Verdade:
Por que eu deveria reconhecer que em sua concepção fala a verdade se não apresenta nenhum argumento para corroborar isso?
Se a definição que faz do que acredito não corresponde a nada do que professo e simplesmente à forma como você interpreta minha crença e todas as demais, quer dizer que serei "sabio" se simplesmente concordar com você, sem mais nenhum argumento racional além da sua própria concepção? Isso não me parece sabedoria mais sim obstinação, assim como o ataque gratuito que me fez na primeira frase, coloca seu entendimento como critério único da Verdade e não o respalda com argumentos.
Tenho minha própria concepção das mencionadas crenças baseadas na minha interpretação do que conheço sobre as mesmas, a qual aceito como Verdade por vários motivos, mas não posso esperar que mais ninguém a aceite como verdade simplesmente porque Eu aceito, e sim se eu puder defender com argumentos a forma como acredito, isso é claro em outro espaço, visto que a simples apresentação como foi feita e que fiz questão de ressaltar, nada acrescentou ao tema proposto por você mesmo, assim como seu comentário, continuamos esperando sua contribuição na questão levantada por si próprio: Por que há divisão no Cristianismo?

Particularmente apenas lhe chamo à coerência relembrando o tema, visto não esperar que essa contribuição seja significativa, pois já demostraste aparentemente desconhecer a definição de "Cristianismo" ao confundi-la com a "Mensagem de Cristo", como subentendemos: a Palavra, a Bíblia. Uma prática, com um objeto ou declaração.
Quanto a ser árbitro no assunto, esse é o meu dever como Cristão, lembrando as palavras de Jesus( Não julgueis segundo a aparência,mas JULGAI segundo a reta Justiça)
Não compreendeste minha colocação pois tal comentário encontra-se sem nexo. Um debate não precisa de "arbitro", o que quis ressaltar foi a sua posição arbitrária em relação a qualquer outra visão apresentada. Um debate de idéias não é uma competição onde alguém ganha e outro perde, onde alguém é obrigado a concordar com uma das posições propostas, é simplesmente a exposição das mesmas e dos questionamentos feitos as mesmas, você não precisa julgar ninguém (e nem teria capacidade para isso), o julgamento é de âmbito pessoal, cada um crê naquilo que considerar razoável e credível, não havendo obrigação necessáriamente de esta posição ser a Verdadeira segundo o julgamento de Deus.

E essa é a grande diferença entre a igreja católica, e os CRISTÃOS;porque vocês gloriam-se,que têm 2000 anos,gloriam-se nos vossos ilustres(só haverá ilustres na vossa igreja?)gloriam-se em templos,em multidões,enfim
O problema é que a vossa glória,assim como das outras religiões mencionadas,é meramente humana,sem valor algum em relação a DEUS, ainda mais que tão grande Glória, não é mais do que tão Grande Pecado.
Porque aquilo que é elevado diante dos homens ,é ABOMINAÇÃO diante de DEUS.
Como demostrei anteriormente, essa é apenas uma estratégia para fazer proselitismo e atacar o Catolicismo, não há verdadeiro interesse no tema que é: Por que há divisão no Cristianismo, e não: A diferença do Catolicismo das demais crenças.
Mas para demostrar que o tesouro da Igreja é inesgotável, vou entrar nessa:
Acredita mesmo que nossa Igreja não glorifica a Deus?
O Autor é Glorificado em suas Obras
"Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus." (Mt 5,16)

Gloriamo-nos de nossa Igreja ter 2000 anos, porque para a Glória de Deus e por sua Graça, sua obra permanece initerruptamente desde que Cristo a fundou.
Gloriamo-nos nos Santos , porque para Glória de Deus um homem é capaz de fazer de sua vida um testemunho a ser seguido e lembrado, por toda a diferença que pode trazer à história e à sociedade, como um São Francisco, um Santo Agostinho, uma Madre Tereza, isso tudo pela Fé que depositou nesse Deus e pelo que isso provocou na sua vida.
Não nos gloriamos de templos, mas é salutar constatar que o homem fiel dispõe livremente do melhor de seu talento, de sua arte e de seu patrimônio para honrar a importância de Deus na sua vida, na sua sociedade e na sua história.
Assim como multidões também não são aspecto de Glória própria, mas ressaltam o fato do quanto a mensagem de Jesus foi difundida e aceita (mesmo que nem todos se decidam a praticá-la) pelo mundo, como era sua Vontade.
Enfim, vendo todas as boas obras da Igreja, Cristo é Glorificado nelas, pois tudo o que recebemos é dele, e o que Ele recebeu é do Pai, assim ocorre a comunhão perfeita entre a cabeça(Cristo) e seus membros (a Igreja), não permitir que nos Gloriemos disso é impedir que se dê Glórias devidas a Deus por sua obra entre os homens.
Pois é lucas,existe mesmo tópicos para isso, o problema é que a INQUISIÇÃO ainda está em vigor, e nós os Cristãos foi-nos vedado o acesso,foi-nos gentilmente imposto que falássemos,apenas aqui.
Fui ao tópico do ricardo gabriel, sobre oração,para deixar um pedido em favor do Fabrício,mas não foi possível entrar.( possivelmente também já não tem cura)Pois agora compara a obra de justiça de DEUS á penicilina.
Sou novo no fórum e desconheço se há tal diferenciação, de qualquer maneira querer comparar isso à Inquisição, é demostrar a incompreensão de um dos dois fatos, mas isso também é assunto para outro tópico.
Certamente creio que a moderação zela pelo bom andamento e civilidade no forum, devemos considerar se o que queremos expor é definitivamente ofensivo ao próximo, no mais qual o problema de o irmão querer fazer a comparação com a penicilina que é um remédio e salva vidas? A menos que a comparação não faça sentido, mas se é pela aparente "insignificancia ou inadequação" deveria repreender o próprio Jesus pois compara o Reino do Céu à: semente, rede de pesca, fermento, etc.

Exponha idéias e não acusações.

Vinde Senhor Jesus!

Lucas B.

Mensagens : 95
Data de inscrição : 03/05/2012
Localização : Brasil

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por Paulo Henrique Viana em Qui Maio 31, 2012 10:38 pm

Ola amigos,
Há uma grande diferença em ser cristão (seguidor de Jesus) e estar debaixo de uma "bandeira" religiosa, que se diz cristã.
Na prática o que vemos em nosso amado Brasil, são pessoas de diversas religiões dizerem: "A minha igreja é a verdadeira." e outros dizem: "sou católico, sou evangélico, sou dos "sem placa" e por aí vai." Porém, para um país que se diz cristão, devo dizer que o cristianismo se tornou uma idéia, um conceito, uma divisão motivada por interesses próprios e não por vontade divina. Seguimos os "ismos" da vida e esquecemos de seguir a Jesus, de imitá-lo. Se os brasileiros de fato fossem seguidores de Jesus (e olha que são religiosos) o Brasil seria um país melhor. Não teríamos que nos preocupar tanto com o aumento de divórcios (na grande maioria motivado por adultério de uma das partes), com aumento de dependentes químicos, pedofilia, abusos sexuais, entre outros males.

O cristianismo se divide, porque os homens estão seguindo idéias e não a Jesus. O cristianismo se divide porque os homens se fundamentam em desejos egocêntricos e não em Cristo e nos seus ensinos.

Jesus não pode ser dividido, porém dividimos o corpo (membros da igreja de Jesus), passamos a ter a mesma atitude dos membros da igreja de Corinto, seguimos ao papa, seguimos ao bispo, seguimos ao pastor, seguimos à denominação, menos a Cristo.

Está na hora de repensarmos sobre o nosso modo de ser e viver, pois se somos de Jesus, então, sejamos seguidores e servos dEle.

Paulo Henrique Viana

Mensagens : 110
Data de inscrição : 19/11/2010
Localização : Minas Gerais

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por Flávio Roberto Brainer de em Sex Jul 06, 2012 10:08 pm

CAROS AMIGOS !!!

CONSIDERANDO QUE NESTE TÓPICO HÁ ALGUMAS POSTAGENS NAS QUAIS O RENATO ESCREVEU ALGUNS EQUÍVOCOS CONTRA A NOSSA IGREJA, ESTOU REPASSANDO O SEU PEDIDO DE DESCULPAS DIRIGIDO AOS QUE FAZEM O NOSSO FÓRUM, PARA QUE POSSAMOS JUNTOS LOUVAR A DEUS POR ESTE TESTEMUNHO:

"Me desculpem!
por RenatoPaulo em Sab Maio 26, 2012 5:02 am

.Amigos,quero aqui pedir desculpas pelo mal que cometi contra vcs e contra a Igreja.
Aprendi neste tempo que me afastei da Igreja,que de fato nada aprendi.
Para vos ser sincero,passei momentos dificeis de controlar e quase impossiveis de aguentar.

Passei a ser mais cruel e deixei quase de dar conta que estava sendo cada vez mais "frio"com as pessoas que me rodeiam...
As minhas energias foram desaparecendo e reparei que tudo provinha de aflicoes de espirito.Sim,os pensamentos e tentacoes que me afectaram estavam me destruindo.
Cheguei mesmo a sentir a ausencia de Deus ou um vazio...nao sei bem explicar.

Pensava que me considerava ja salvo e que ja estava predestinado por Deus,mas tudo isso nao passou de ilusoes porque minha consciencia me dizia o contrario.

Entao comecei a meditar e algo dentro do meu ser me falou e ensinou.
Ensinou que de fato quem ja esta predestinado é a Igreja Catolica e eu sou apenas mais um membro dela.
Aprendi que todas as boas obras da Igreja proveem da Graça de Deus.
Esqueci que Deus fala para a Igreja e assim automaticamente para todos os seus membros.
Me desculpem por favor e venho atraves deste meio pedir ajuda porque estou passando por momentos muito dificeis e nao os consigo resolver sozinho.O meu espirito esta abalado e a sofrer tentacoes e pensamentos estranhos a toda a hora.

Me perdoem porque estou sinceramente arrependido.
renato"

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS !!!
avatar
Flávio Roberto Brainer de
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 1189
Data de inscrição : 13/09/2009
Idade : 59
Localização : Gravatá - PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porquê a divisão no Cristianismo?

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum