Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por quemtembocadizaverdade em Dom Set 26, 2010 12:29 am

esses concílios ditam regras e vcs acreditam.. a santa ceia é para lembrarmos da morte do Senhor, não para o matarmos de novo. isso que esse concilio diz é mentira. satanás foi o dirigente dele para mais idolatria.....
avatar
quemtembocadizaverdade

Mensagens : 342
Data de inscrição : 15/09/2010
Localização : sao paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Flávio Roberto Brainer de em Dom Set 26, 2010 10:16 am

Amados irmãos,

Que esteja com todos nós a graça e a paz de Nosso Senhor !

Se lermos o discurso de Jesus a respeito do Pão da Vida (Jo 6), estudando e refletindo palavra por palavra e vesículo por versículo, veremos que, de forma incontestável, a Eucaristia, mesmo não deixando de ser uma lembrança ou memória da pessoa de Jesus, transcende a esta questão, sendo de fato O Corpo e O Sangue do Senhor.

Um grande abraço !
avatar
Flávio Roberto Brainer de
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 1189
Data de inscrição : 13/09/2009
Idade : 59
Localização : Gravatá - PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por quemtembocadizaverdade em Dom Set 26, 2010 11:15 am

isso é surpertição da igreja. não tem sentido. não é bíblico. e por que só o padre toma o vinho sendo que Cristo disse comei e bebei todos vós?
avatar
quemtembocadizaverdade

Mensagens : 342
Data de inscrição : 15/09/2010
Localização : sao paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por alessandro em Dom Set 26, 2010 2:45 pm

Ola caro amigo, essa última pergunta é boa.

Na verdade o motivo é prático, julgamos que o vinho é o sangue do próprio Cristo e que sua distribuição a todos em uma celebração com muitas pessoas poderia gerar certos acidentes.

em várias ocasiões, os católicos recebem a comunhão sobre duas espécies.

convido vc a ler melhor as respostas e qdo for lançar novos comentários examine os argumentos de quem escreveu antes, se não parece um diálogo com um surdo, com um do lados simplesmente repetindo o que já disse sem considerar aquilo que o outro levantou.

_________________
Só vale a pena viver pelo que vale a pena morrer!!!
avatar
alessandro
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 750
Data de inscrição : 16/08/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Flávio Roberto Brainer de em Dom Set 26, 2010 3:12 pm

Caros Irmãos,

Que a paz do Senhor Jesus esteja com todos nós!

Aqui está mais uma INVERDADE da Sra. "quemtembocadizaverdade", ao afirmar que é uma superstição da igreja católica crer que a Eucaristia é Corpo e Sangue do Senhor, que não tem sentido e que não é bíblico.

Mais uma vez, recomendo a leitura do texto sobre o Pão da Vida (Jo 6, 22-71), e a partir de então verão que Jesus não instituiu nenhuma superstição, como insinua a nobre adventista, mas um sacramento que é, na sua essência, o Corpo e o Sangue do nosso Salvador.

Observe-se que, por quatro vezes, entre as várias indagações provenientes dos judeus, Jesus se serve da expressão: "EM VERDADE, EM VERDADE VOS DIGO" nos versículos 26, 32, 47 e 53.

No versículo 26, Jesus se serve dessa expressão para afirmar categorica e indiscutivelmente que o seu corpo é a comida que dura para a vida eterna;

No versículo 32, para se auto-definir como o verdadeiro pão do céu, diferente do maná que foi dado poe Deus que, mesmo se constituindo numa pré-figura da Eucaristia, teve a finalidade de saciar a fome material;

No versículo 47, para garantir a vida eterna para aqueles que comerem o seu corpo;

No versículo 53, para afirmar que aqueles que não comerem da sua carne e não beberem do seu sangue não terão a vida eterna.

A leitura do texto na íntegra não deixa espaço para qualquer dúvida, mas é preciso, antes de qualquer comentário, ler com muita devoção, sabendo que o referido texto é PALAVRA DE JESUS.

Diante do exposto, não posso qualificar como verdade as afirmações da Sra. "quemtembocadizaverdade", porque se Jesus afirma que a Eucaristia é o seu corpo e o seu sangue, é a comida que dura para a vida eterna, que o seu corpo é verdadeiramente comida e o seu sangue é verdadeirameente bebida, que quem come do seu corpo e bebe do seu sangue tem a vida eterna e que quem não come do seu corpo e não bebe do seu sangue não terá a mesma vida eterna, A PALAVRA DA REFERIDA SENHORA É O CONTRÁRIO DA PALAVRA DE JESUS. Logo, se a palavra da referida senhora é o contrário da de Jesus, a Bíblia nos ensina que a palavra de Deus é a verdade e, por conseguinte, A "PALAVRA" QUE SE OPÕE PALAVRA DE DEUS NÃO PASSA DE MENTIRA.

Não posso acreditar em palavras que não são verdadeiras, pois se não são vedadeiras, SÃO MENTIROSAS e eu não tenho outra forma para qualificar as inverdades.

Assim, entre as palavras de Jesus e as de "quemtembocadizaverdade" EU FICO COM AS DE JESUS !!!

Um grande abraço a todos !
avatar
Flávio Roberto Brainer de
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 1189
Data de inscrição : 13/09/2009
Idade : 59
Localização : Gravatá - PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por quemtembocadizaverdade em Dom Set 26, 2010 5:42 pm

não convenceu. acho que a questão é o preço do vinho
avatar
quemtembocadizaverdade

Mensagens : 342
Data de inscrição : 15/09/2010
Localização : sao paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Yuri07 em Dom Set 26, 2010 7:18 pm

Na missa, Cristo não é morto novamente, a missa é A MESMA morte que ele sofreu na cruz, e não uma nova. É isso que ensina o Sagrado Concílio Tridentino.

Repito a mesma pergunta: A quem Jesus disse: bebei dele todos vós?

Os primeiros cristãos não acreditavam que estavam fazendo uma simples memória. Além dos demais argumentos sobre isso que já foram utilizados.

O concílio errou, então a Igreja errou, então Cristo errou, pois ele mesmo disse: as portas do Inferno não prevalecerão contra ela.

As palavras ofensivas contra os concílios, os papas, a Igreja não nos incomoda, posto que estão desprovidas de qualquer fundamentação.
avatar
Yuri07

Mensagens : 173
Data de inscrição : 30/10/2009
Idade : 27
Localização : Recife, PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

A fração do corpo de Cristo. O pão é carne, o vinho é sangue?

Mensagem por Paulo Henrique Viana em Dom Nov 28, 2010 10:16 pm

Durante muito tempo, sempre tive interesse de entender este assunto, mas não era algo comentado na missa de uma forma que o membro poderia entender, em casa minha mãe sendo ministra da igreja, não tinha nenhum conhecimento sobre tal assunto. Até hoje, não consigo entendê-lo bem. Gostaria, de saber um pouco mais sobre o assunto? Alguém poderia nos explicar melhor, algo que até hoje ficou oculto para mim?

Paulo Henrique Viana

Mensagens : 110
Data de inscrição : 19/11/2010
Localização : Minas Gerais

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Catholic em Dom Nov 28, 2010 11:14 pm

avatar
Catholic

Mensagens : 103
Data de inscrição : 18/10/2010
Idade : 24
Localização : Porto Alegre

Ver perfil do usuário http://www.digitusdei.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Paulo Henrique Viana em Sab Dez 11, 2010 9:29 am

Tomás de Aquino, afirma que a eucaristia não confere a graça a quem ainda não a tem. Depois ele diz que o aumento da graça é proprio do sacramento da crisma. Ainda diz: ... se oferece o corpo de Cristo pela salvação do corpo e o sangue de Cristo pela salvação da alma.

Tomás de Aquino, afirma que logo pelo menos para o corpo este sacramento não oferece a graça. Diz ainda que a vida espiritual é dada pela graça. Logo, este sacramento confere a graça. Afirma que Cristo está presente neste sacramento.

Diz... este sacramento produz no homem o mesmo efeito que a paixão produziu no mundo. Diz ainda que ninguém tem a graça antes de recebe-lo a não ser o pelo desejo do mesmo.

Nele se aumenta e aperfeiçoa a graça, diz.
Ainda que ambos atuem em beneficio da salvação da alma.

vamos em parte:
1 - Que graça e esta referida por Tomás de Aquino? Fala da salvação como favor imerecido, ou fala de outra coisa?

2 - Como alimento espiritual então, ela não pode dar ao pecador aquilo que ele precisa, pois ele não tem a graça, e se participa da eucaristia torna-se cúmplice de sua própria condenação, confere?

3 - Que aumento da graça é este que é próprio da crisma? Salvação? Fé?

4 - Quando diz que se oferece o corpo de Cristo pela salvação do corpo e o sangue pela salvação da alma. ele está apenas afirmando algo que já aconteceu e que não mais haverá necessidade? ou está dizendo que sempre que participarmos da eucaristia poderemos ser salvos? Óu é outra coisa que se refere?

5 - Por que ele diz que para o corpo este sacramento não oferece a graça, se quando oferece o corpo de Cristo se oferece pela salvação do corpo?

6 - Se a vida espiritual é dada pela graça, então a vida espiritual antecede o sacramento, isto mesmo?

7 - Cristo está presente no sacramento ou está presente na missa? Eu faço esta pergunta porque acredito que ele esteja presente na missa não dependendo da celebração da eucaristia, para confirmar assim sua promessa, que quando o seu povo estiver reunido, ainda que seja dois em seu nome ele estria PRESENTE.

8 - A eucaristia segundo afirma Tomás, produz no homem o mesmo efeito que a paixão de Cristo produziu no mundo. Que efeito foi este?

9 - A graça não vem antes do sacramento? Porque ele diz que ninguém tem a graça antes de recebe-lo?

10 - A salvação da alma não vem antes da participação da eucaristia?


obs. as perguntas feitas de fato são para obter um maior esclarecimento da posição de Tomás de Aquino ou para conhecer mais profundamente sobre o tema proposto e não para atacar a sua fé.
Nosso primeiro encontro no fórum não foi muito agradavel, onde fui acusado de "protestante", mente pentecostal e até bitolado. Como foi você que atendeu agora a minha solicitação, caso queira continuar, vamos tentar novamente, mas se não sentir à vontade, permita que o Pe. Anderson ou o Flávio me respondam. Caso não sinta à vontade.

Paulo Henrique Viana

Mensagens : 110
Data de inscrição : 19/11/2010
Localização : Minas Gerais

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Catholic em Sab Dez 11, 2010 11:23 am

Para responder sua pergunta, ao que posso, seria melhor botares a página sob cada questão.
Quanto aos dois que mencionaste, são muito mais educados e pacientes do que eu. Eu tenho uma forma diferente do que os dois têm em debater.
avatar
Catholic

Mensagens : 103
Data de inscrição : 18/10/2010
Idade : 24
Localização : Porto Alegre

Ver perfil do usuário http://www.digitusdei.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Catholic em Sab Dez 11, 2010 11:32 am

Só para o que pude extrair entenda que para nossa fé:
"O sacrifício expiatório de Cristo teve força não só para os pecados passados, mas para também os do presente e futuro. Vejamos de que modo, com a palavra São Tomás de Aquino: “Ora, isso se dá pelo batismo, pela penitência e pelos demais sacramentos, que buscam seu poder na paixão de Cristo. Ora, a fé com o qual nos purificamos do pecado não é uma fé informe, que pode existir até com o pecado; mas é uma fé formada pelo amor; assim, a paixão de Cristo nos será aplicada, não apenas em nossa mente, mas também em nossos afetos. E também por esse modo, perdoam-se os pecados, pela força da paixão de Cristo.”
(João Eck x Lutero - Diálogo fictício - Digitus Dei)
avatar
Catholic

Mensagens : 103
Data de inscrição : 18/10/2010
Idade : 24
Localização : Porto Alegre

Ver perfil do usuário http://www.digitusdei.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Catholic em Sab Dez 11, 2010 1:38 pm

"Tomás de Aquino, afirma que a eucaristia não confere a graça a quem ainda não a tem."

Penso que quis dizer que não pode conferir graça àquele que não é batizado ou àquele que não está em estado de graça, ou seja, está em pecado mortal.

"Depois ele diz que o aumento da graça é proprio do sacramento da crisma."

Aumento da "graça santificante" onde a pessoa se encontrará em mais intimidade com a Trindade.
"(Jesus Cristo) nos comunicou mui grandes e preciosas graças, a fim de que por elas nos tornássemos consortes da natureza divina." (II Ped. 1, 4)
"Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça." (Romanos 6:14) Mais em: Rom 5:17,20-21, 2 Coríntios 1,12, 2 Timóteo 1,9

Como o erudito Gerhard Kittel aponta:

Graça é a base da justificação e também se manifesta nele ([Rom.] 5:20-21). Daí a graça é, em certo sentido um estado (5:2), embora sempre é chamado para ele (Gálatas 1:6), e é sempre um dom sobre o qual não se tem crédito. A graça é suficiente (1 Cor. 1:29). . . O trabalho de graça para vencer o pecado exibe seu poder (Rm 5:20-21). . . (Kittel, 1304-1305)

Mais exemplos bíblicos:

Estêvão, cheio de graça e fortaleza, fazia grandes milagres e prodígios entre o povo. (Atos dos Apóstolos 6,8)
Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, desde sempre e para sempre plenamente agraciada, o Senhor é contigo. (São Lucas 1,28)

"se oferece o corpo de Cristo pela salvação do corpo e o sangue de Cristo pela salvação da alma."
"Tomás de Aquino, afirma que logo pelo menos para o corpo este sacramento não oferece a graça."

"Portanto, por certa semelhança pode-se dizer que neste sacramento o Corpo de Cristo se oferece pela salvação de nosso corpo e o sangue pela da alma, ainda que ambos atuem em benefício do corpo e da alma. Pois, sob ambos está Cristo inteiro. Embora, o corpo não seja sujeito imediato de graça, desde a alma redunda o efeito da graça sobre ele; assim na vida presente "oferecemos os nossos membros a Deus como arma de Justiça", como diz Paulo, e no futuro, o nosso corpo gozará de incorruptibilidade e glória da alma" (Questão 79, artigo 1)

"Diz ainda que a vida espiritual é dada pela graça. Logo, este sacramento confere a graça."

"Como se diz que a Eucaristia confere a graça,devem os pastores observar que isto não é para se entender, como se não fosse preciso adquirir antes o estado de graça, quando alguém quer receber este Sacramento, de maneira real e frutuosa." (Catecismo Romano)

"Diz... este sacramento produz no homem o mesmo efeito que a paixão produziu no mundo."

Porque a Eucaristia é o mesmo sacrifício da cruz e sua eficácia se dá pelos méritos do mesmo na cruz.
Para mais: http://comunidadecatolica.wordpress.com/2008/06/12/os-efeitos-da-eucaristia-por-sao-tomas-de-aquino/
avatar
Catholic

Mensagens : 103
Data de inscrição : 18/10/2010
Idade : 24
Localização : Porto Alegre

Ver perfil do usuário http://www.digitusdei.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Catholic em Sab Dez 11, 2010 2:10 pm

1 - Que graça e esta referida por Tomás de Aquino? Fala da salvação como favor imerecido, ou fala de outra coisa?

Já respondida.

2 - Como alimento espiritual então, ela não pode dar ao pecador aquilo que ele precisa, pois ele não tem a graça, e se participa da eucaristia torna-se cúmplice de sua própria condenação, confere?

É pecado receber Eucaristia com pecado mortal, deve-se antes confessar. Tem a ver com isso: "Tomás de Aquino, afirma que a eucaristia não confere a graça a quem ainda não a tem."

3 - Que aumento da graça é este que é próprio da crisma? Salvação? Fé?

Papa São Pio X:

575) Que é o Sacramento da Confirmação?
A Confirmação, ou Crisma, é um Sacramento que nos dá o Espírito Santo, imprime na nossa alma o caráter de soldados de Cristo, e nos faz perfeitos cristãos.

576) De que maneira o Sacramento da Confirmação nos faz perfeitos cristãos?
A Confirmação faz-nos perfeitos cristãos, confirmando-nos na fé, e aperfeiçoando em nós as outras virtudes e os dons recebidos no santo Batismo; e é por isso que se chama Confirmação. (Catecismo de São Pio X)

Papa Inocêncio III: "Com o ato de crismar sobre a fronte é estendida sobre a fronte a imposição das mãos que, com outro vocábulo, se diz confirmação, uma vez que, por meio dela, é dado o Espírito Santo para o crescimento e a robustez" ( Ep. Cum Venisset: PL 215, 285. Professio fidei ab eodem Pontífice Waldensibus imposita haec habet: "Confirmationem ab episcopo factam, id est impositionem manuum, sanctam et venerande accipiendam esse censemus": PL 215,1511.)

4 - Quando diz que se oferece o corpo de Cristo pela salvação do corpo e o sangue pela salvação da alma. Ele está apenas afirmando algo que já aconteceu e que não mais haverá necessidade? ou está dizendo que sempre que participarmos da eucaristia poderemos ser salvos? Óu é outra coisa que se refere?

Na verdade, eu nunca tinha ouvido falar que o corpo é para salvação do corpo e o sangue e para a alma. Nesse caso devo repetir o que já pus anteriormente:
"O sacrifício expiatório de Cristo teve força não só para os pecados passados, mas para também os do presente e futuro. Vejamos de que modo, com a palavra São Tomás de Aquino: “Ora, isso se dá pelo batismo, pela penitência e pelos demais sacramentos (então eucaristia incluída), que buscam seu poder na paixão de Cristo. Ora, a fé com o qual nos purificamos do pecado não é uma fé informe, que pode existir até com o pecado; mas é uma fé formada pelo amor; assim, a paixão de Cristo nos será aplicada, não apenas em nossa mente, mas também em nossos afetos. E também por esse modo, perdoam-se os pecados, pela força da paixão de Cristo.”
(João Eck x Lutero - Diálogo fictício - Digitus Dei)
O que você tem que entender é que na nossa fé não há novo sacrifício na Missa, é o mesmo da cruz, só que de forma incruenta.

5 - Por que ele diz que para o corpo este sacramento não oferece a graça, se quando oferece o corpo de Cristo se oferece pela salvação do corpo?

Repetindo:
"Portanto, por certa semelhança pode-se dizer que neste sacramento o Corpo de Cristo se oferece pela salvação de nosso corpo e o sangue pela da alma, ainda que ambos atuem em benefício do corpo e da alma. Pois, sob ambos está Cristo inteiro. Embora, o corpo não seja sujeito imediato de graça, desde a alma redunda o efeito da graça sobre ele; assim na vida presente "oferecemos os nossos membros a Deus como arma de Justiça", como diz Paulo, e no futuro, o nosso corpo gozará de incorruptibilidade e glória da alma" (Questão 79, artigo 1)

6 - Se a vida espiritual é dada pela graça, então a vida espiritual antecede o sacramento, isto mesmo?

Sim.

7 - Cristo está presente no sacramento ou está presente na missa? Eu faço esta pergunta porque acredito que ele esteja presente na missa não dependendo da celebração da eucaristia, para confirmar assim sua promessa, que quando o seu povo estiver reunido, ainda que seja dois em seu nome ele estria PRESENTE.

Está presente no sacramento, logo presente na Missa. Deves lembrar que a Missa é a renovação do sacrifício de Cristo.
Eu entendi o que quis dizer. Mas nós cremos que Ele está presente na Missa, de forma especial. Na nossa crença Ele está presente de forma real e substancial assim como está no céu.

Acho que temos maneira diferente de entender a onipresença de Deus. Para nós sua onipresença quer dizer que ele está em todos os lugares ao mesmo tempo, mas isso não de forma real e substancial.
1. Deus está em todos os lugares ao mesmo tempo e até no inferno, POR SUA JUSTIÇA.
2. Deus está presente em todos os lugares ao mesmo tempo POR SEU PODER E ORDEM.
3. Deus está em todos os lugares ao mesmo tempo POR SEU AMOR.

Mas de forma real e substancial, para nós, só no céu e na hóstia.

Referência bíblica:

"Bem aventurado és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne e o sangue que to revelou, mas meu Pai QUE ESTÁ NO CÉU" (Mt. 16,17)

"Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu." (Lc. 11,2)

8 - A eucaristia segundo afirma Tomás, produz no homem o mesmo efeito que a paixão de Cristo produziu no mundo. Que efeito foi este?

O que eu respondi anteriormente, sobre isso, foi vago, então passo a vez para outro.

9 - A graça não vem antes do sacramento? Porque ele diz que ninguém tem a graça antes de recebe-lo?

Vem. Deve ter um problema de interpretação ou São Tomás de Aquino se contradisse, pois "Tomás de Aquino, afirma que a eucaristia não confere a graça a quem ainda não a tem." é antagônico à "ninguém tem a graça antes de recebe-lo".

10 - A salvação da alma não vem antes da participação da eucaristia?

A salvação da alma é um processo contínuo que temos que lutar para conseguí-la. A Eucaristia, no caso, ajuda para a salvação da alma.
avatar
Catholic

Mensagens : 103
Data de inscrição : 18/10/2010
Idade : 24
Localização : Porto Alegre

Ver perfil do usuário http://www.digitusdei.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Flávio Roberto Brainer de em Sab Dez 11, 2010 10:54 pm

Grande Paulo,

Que a paz de Jesus esteja sempre no seu coração !

Creio que esta questão é muito necessária para nós católicos, pois é da sua compreensão que podemos distinguir o Corpo e o Sangue do Senhor para os recebermos dignamente, como nos adverte São Paulo na sua carta aos cristãos de Corinto.

Há um pouco de tempo, abri um tópico no nosso fórum com o intuito de abrir uma discussão sobre esta questão:

http://quemtembocavaiaroma.livreforum.com/questoesdisputadas-f7/eucaristia-corpo-e-sangue-do-senhor-simbolo-ou-realidade-t670.htm

Tenho alguma coisa escrita nos meus cadernos sobre esse tema, escritos estes que, como venho fazendo com outros temas, gostaria de ter postado, e no entanto, não o fiz.

É que agente vai se preocupando com muitos temas no fórum, e alguma coisa acaba caindo no nosso esquecimento. Mas quero assegurá-lo de que no tempo mais breve possível estarei corroborando com essa questão que amo muito.

Por enquanto, afirmo com toda a convicção que, uma vez consagrados, o pão deixa de ser pão e o vinho deixa de ser vinho para se tornarem Corpo e Sangue do Senhor. Mas vamos ter um pouco de paciência para irmos aprofundando essa questão aos poucos.

GOSTARIA DE CHAMAR A ATENÇÃO DOS NOSSOS MODERADORES PARA VERIFICAR SE NÃO SERIA BOM JUNTAR ESTE TÓPICO COM O QUE ME REFERI NESTA POSTAGEM, CONSIDERANDO QUE AMBOS TRATAM, AO MEU VER, DA MESMA QUESTÃO.

Um grande abraço a todos !!!
avatar
Flávio Roberto Brainer de
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 1189
Data de inscrição : 13/09/2009
Idade : 59
Localização : Gravatá - PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Catholic em Sab Dez 11, 2010 11:07 pm

As perguntas que seguem são direcionadas aos protestantes que negam a presença real de Cristo Jesus na hóstia. A aqueles que negam, pois, os luteranos mantêm a visão de presença real no sacramento.
Dizem os protestantes que o pão consagrado não é, realmente, a carne de Cristo, nem o vinho o seu sangue. Vamos, então, interrogá-los biblicamente e historicamente sobre isso.


1. Se o pão e o vinho são só simbolicamente o corpo e sangue de Jesus, por que em João 6 Jesus responde aos judeus que faziam este pergunta: "Como pode este dar-nos a sua carne a comer?" (João 6,52) de forma que confirmasse e não negasse o que interrogavam? Jesus respondeu desta forma: "Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna[...]" (João 6, 53-54) E na mesma resposta acrescenta: "Porque a minha carne VERDADEIRAMENTE é comida, e o meu sangue VERDADEIRAMENTE é bebida." (João 6,55) Por que não disse que era só simbolicamente, mas o contrário?


2. Ainda sobre João 6, por que Jesus não explicou que era só simbolicamente quando muitos de seus discípulos disseram: "Duro é este discurso; quem o pode ouvir?"? Mas, pelo contrário, devolve uma pergunta: Isto vos escandaliza?"(João 6,61). Se era apenas uma analogia por que Jesus não explicou para eles?


3. Seguindo o contexto da anterior. Após escrever a questão que Jesus devolveu aos discípulos, João mais adiante atesta: "Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele." (João 6,66) A pergunta é: Por que Jesus não explicou a esses discípulos, mas deixou irem embora pensando que Jesus pregava que o pão era seu corpo e o vinho seu sangue literalmente? Por que os desamparou por uma interpretação errônea que fizeram de sua fala?


4. Se era apenas simbólico, representativo, por que Jesus não disse explicitamente, como o fez em outros temas? (Conf. Mat 13,5-8; Mat 13,24-30; Mat 13,31,32; Mat 13,33; Mat 25,1-13; Mc 4, 26-29 e outras.)


5. Como pode a passagem onde Jesus diz: "Fazei isto em memória de Mim" (Ler: Lc 22,19; 1Cor 11,24,25) poder provar que é apenas uma simples lembrança, um símbolo, quando no grego a palavra utilizada foi "Anamnese" que significa "tornar presente, atualizar" e não "Mneumon" que aí sim significaria "simples lembrança"? No caso não seria um tiro no próprio pé, pois, não comprovaria que na Eucaristia há a atualização do sacrifício de Cristo, como defende a Igreja Católica?


6. Não disse São Paulo que aquele que não discerne, ou seja, não reconhece o pão como o corpo e o vinho como o sangue, comem e bebem indignamente para sua própria condenação (Conf. 1Cor 11,29)? Por que os protestantes não 'escutam' São Paulo?


7. Se é só simbólico, por que Sto. Inácio de Antioquia discípulo direto de S. João, o apóstolo, e que conheceu pessoalmente S. Paulo cria o mesmo que crê a Igreja Católica (Conf. Carta aos Esmirnenses vers. 7; Carta aos Filadelfos IV) ? De onde ele tirou isso? E por que a interpretação dada pelos protestantes seria superior ao que os cristãos primitivos escutaram (uns diretamente dos apóstolos, como é o caso de Sto. Inácio) e pregaram?


8. Como pode ser o protestantismo o retorno à crença cristã da igreja primitiva, sendo que os pais da Igreja sempre creram na presença real e substancial de Cristo na Eucaristia? Não seria o protestantismo o retorno à crença "cristã" dos grupos gnósticos que negavam a doutrina?
Pais da Igreja em favor da Eucaristia: Sto. Inácio de Antioquia, Santo Irineu, São Cirilo de Jerusalém, Sto. Inácio Mártir, S. Justino,Santo Agostinho e poderia acrescentar tantos outros.


9. Como os protestantes conciliam a negação da presença real de Cristo na Eucaristia com a sua doutrina da Sola Scriptura? Onde está na Bíblia que é apenas símbolo?


10. Termino retomando, com a devida reverência, a pergunta feita por Cristo: "Isto vos escandaliza?"(João 6,61)

FONTE: DIGITUS DEI

http://www.digitusdei.com.br/2010/10/perguntas-sobre-eucaristia.html
avatar
Catholic

Mensagens : 103
Data de inscrição : 18/10/2010
Idade : 24
Localização : Porto Alegre

Ver perfil do usuário http://www.digitusdei.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Flávio Roberto Brainer de em Sab Dez 11, 2010 11:17 pm

Obrigado, Nelson!
Que beleza as suas questões !!!
Um grande abraço !!!
avatar
Flávio Roberto Brainer de
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 1189
Data de inscrição : 13/09/2009
Idade : 59
Localização : Gravatá - PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Catholic em Sab Dez 11, 2010 11:18 pm

Eu que agradeço o elogio.
avatar
Catholic

Mensagens : 103
Data de inscrição : 18/10/2010
Idade : 24
Localização : Porto Alegre

Ver perfil do usuário http://www.digitusdei.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Binhokraus em Sab Dez 11, 2010 11:56 pm

Preciso dizer também que estas questões são bastante oportunas. E aguardo ansioso pelos argumentos protestantes. bounce

_________________
Cleber Nunes Kraus
Biólogo

"Quem não ora, não precisa de demônio que o tente." Sta. Tereza D'Avila
avatar
Binhokraus
Moderadores

Mensagens : 736
Data de inscrição : 26/09/2008
Idade : 35
Localização : Petrópolis

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Flávio Roberto Brainer de em Dom Dez 12, 2010 7:26 am

Ao estudarmos a história do povo israelita no Antigo Testamento, percebemos que há no seu contexto literário toda uma narrativa alegórica na qual um conjunto de elementos evoca, por meio de comparação, outras realidades de ordem superior. Esta narração alegórica expressa em cada fato ou fenômeno da Antiga Aliança, um simbolismo concreto no qual cada elemento do símbolo corresponde a outro elemento significado ou simbolizado pertinente à Nova Aliança.

Para compreendermos melhor esta questão, servir-nos-emos de algumas passagens bíblicas que descrevem a relação simbólica de alguns fatos do Antigo Testamento que demonstram uma estreita relação entre a história dos hebreus e a história dos cristãos.

Assim sendo, recorremos, inicialmente, a uma das passagens descritas por São Paulo que faz alusão a esta relação: "NÃO QUERO QUE IGNOREIS, IRMÃOS, QUE OS NOSSOS PAIS ESTIVERAM TODOS DEBAIXO DA NUVEM E QUE TODOS ATRAVESSARAM O MAR, TODOS FORAM BATIZADOS EM MOISÉS, NA NUVEM E NO MAR, TODOS COMERAM DO MESMO ALIMENTO ESPIRITUAL, TODOS BEBERAM DA MESMA BEBIDA ESPIRITUAL, POIS TODOS BEBIAM DA PEDRA ESPIRITUAL QUE OS SEGUIA; E ESTA PEDRA ERA CRISTO" (1Cor 10,1-4).

Esta narrativa de São Paulo nos mostgra de maneira muito clara toda a simbologia a que me referi no início deste meu colóquio. Aqui, confrontando a história dos hebreus com a dos cristãos, vamos encontrar alguns pontos de congruência que nos levarão a compreender essa relação existente entre a primeira e a segunda, e mais que isso, nos coloca diante do discernimento obvio da relação símbolo/realidade a que nos propusemos discorrer. Aqui, São Paulo faz uma uma relação simbólica da passagem do mar Vermelho como uma representação do batismo (Ver: Ex 14); do maná como uma representação da Eucaristia, de modo específico, do Corpo do Senhor (Ver: Ex 16,13-36); e por ultimo, nos mostra que a água que jorrou do rochedo de Horeb é uma representação do Sangue de Cristo (Ver: Ex 17,1-9).

Esta mesma relação, nos descreve as Sagrtadas Escrituras, quando São João, referindo-se não somente à maneira como Jesus, o Cordeiro de Deus, seria imolado para a remissão dos pecadores, mas também, demonstrando de que forma os cristãos passariam, após a morte de Jesus, a levar em consideração a loucura da cruz, cujo objeto de martírio, de escárnio e de morte se tornaria instrumento de devoção e de salvação para a humanidade: "COMO MOISÉS LEVANTOU A SERPENTE NO DESERTO, ASSIM DEVE SER LEVANTADO O FILHO DO HOMEM, PARA QUE TODO AQUELE QUE NELE CRER TENHA A VIDA ETERNA" (Jo 3,14-15). No Antigo Testamento, Moisés tinha manda prender na ponta de um poste uma serpente de bronze, para a qual os hebreus que estavam doentes por mordeduras de serpentes, olhando com fé, ficavam curados de suas feridas. Aquela serpente era um símbolo de Jesus crucificado, no qual está a salvação do mundo (Ver: Nm 21,4-9).

CONTINUO MAIS TARDE !!!

Um grande abraço a todos !!!
avatar
Flávio Roberto Brainer de
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 1189
Data de inscrição : 13/09/2009
Idade : 59
Localização : Gravatá - PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Paulo Henrique Viana em Dom Dez 12, 2010 7:48 am

Olá Flávio,

Sem querer abri um novo tópico "A fração do corpo de Cristo" que basicamente trará os mesmos cuidados do tópico proposto por você, então com sua permissão gostaria de tecer alguns comentários aqui e lá, por que no tópico que abri estou conversando com Catholic a respeito da posição de Tomás de Aquino. Aqui, gostaria de interagir com vocês, sem contudo, atacar ou tentar diminiuir a fé dos santos, pois como diz as Escrituras, devemos falar a verdade em amor, pois só a verdade nos libertará. Quando levantei o tópico era para trazer à tona a omissão daqueles que me doutrinaram quanto a este assunto. Fora estou da igreja católica ha 15 longos anos, voltar desejo, mas não posso, nem voltaria. Portanto não devo negar a contribuição que os ensinos tiveram para mim e que agora me coloco a disposição não para questioná-los, mas para buscar entendê-los à luz da Escritura, pois a ela (Escritura) minha alma está cativa.

Paulo Henrique Viana

Mensagens : 110
Data de inscrição : 19/11/2010
Localização : Minas Gerais

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Pe. Anderson em Dom Dez 12, 2010 9:24 am

Caros amigos,

Desculpem, mas tivemos que unir tres tópicos nesse, porque todos tratam dos mesmos temas. Por favor, deem uma olhada no tópico para terem a certeza de que nada foi excluido.

Aceitamos sugestoes para uma melhor organizaçao dos tópicos. Grande abençoe que Deus abençoe a todos.
avatar
Pe. Anderson
Admin

Mensagens : 952
Data de inscrição : 10/09/2008
Idade : 35
Localização : Roma

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Flávio Roberto Brainer de em Dom Dez 12, 2010 9:31 am

Muito obrigado, Pe. Anderson !

Eutinha sugerido a união de dois desses tópicos, e não tinha observado ainda este ultimo. Mas foi muito bom, pois ficará tudo no mesmo lugar e ajudará muito a desenvolver o nosso diálogo.

Um grande abraço !!!
avatar
Flávio Roberto Brainer de
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 1189
Data de inscrição : 13/09/2009
Idade : 59
Localização : Gravatá - PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Flávio Roberto Brainer de em Dom Dez 12, 2010 10:31 am

A festa da páscoa que comemorava no antigo testamento a libertação dos hebreus do regime de servidão a que foram submetidos por muito tempo pelos faraós no Egito, no Novo Testamento se constitui na celebração da Eucaristia, da Ceia do Senhor, marcando a libertação dos cristãos do domínio do pecado, para serem inseridos na vida da graça.

A primeira aliança de Deus com o seu povo foi selada pelo sangue das várias vítimas oferecidas em sacrifício. Estes sacrifícios característicos da primeira aliança prefiguravam, de forma simbólica, o sacrifício único da nova e eterna aliança, cuja vítima seria Jesus, o Cordeiro de Deus.

As vítimas oferecidas em sacrifício na antiga aliança não tinham qualquer valor além do símbolo. Elas eram representativas de uma realidade superior, de forma que tais sacrifícios foram questionados pelo profeta Isaias nos seguintes termos: "DE QUE ME SERVE A MULTIDÃO DAS VOSSAS VÍTIMAS ? DIZ O SENHOR: JÁ ESTOU FARTO DE HOLOCAUSTOS E DA GORDURA DE NOVILHOS CEVADOS. EU NÃO QUERO SANGUE DE TOUROS E DE BODES" (Is 1,11).

Estas palavras proferidas pelo profeta Isaias foram, mais tarde, referendadas pelo profeta Jeremias: "QUE ME IMPORTAM O INCENSO DE SABÁ E AS CANAS AROMÁTICAS DE LONGÍNQÜOS PAÍSES ? NÃO ME AGRADAM OS VOSSOS HOLOCAUSTOS, NEM ME COMPRAZEM OS VOSSOS SACRIFÍCIOS" (Jr 6,20).

Não há dúvidas, portanto, a respeito da ineficiência dos sacrifícios da antiga aliança, o que comprova apenas uma simbologia. São Paulo faz uma nítida distinção entrre símbolo e realidade, e afirma literalmente que o Antigo Testamento se constitui em uma mera sombra do Novo: "A LEI, POR SER APENAS A SOMBRA DOS BENS FUTUROS, NÃO É A SUA EXPRESSÃO REAL, É DE TODO IMPORTANTE PARA APERFEIÇOAR AQUELES QUE ASSISTEM AOS SACRIFÍCIOS QUE SE RENOVAM INDEFINIDAMENTE CADA ANO. POIS É IMPOSSÍVEL QUE O SANGUE DE TOUROS E DE CARNEIROS TIRE PECADOS. ASSIM, ABOLIU O ANTIGO REGIME E ESTABELECEU UMA NOVA ECONOMIA. FOI EM VIRTUDE DESTA VONTADE DE DEUS QUE TEMOS SIDO SANTIFICADOS UMA VEZ PARA SEMPRE, PELA OBLAÇÃO DO CORPO DE JESUS CRISTO" (hB 10,1.4.9-10).

São João Batista, o maior dos profetas, apresenta Jesus com as seguintes palavras: "EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO" (Jo 1,29). Desta forma, os sacrifícios de animais que eram sacrificados pelos sacerdotes da Antiga Aliança foram substituídos pelo sacrifício único e eterno de Jesus, o Cordeiro de Deus, conforme profetizara Isaias: "O SENHOR FAZIA RECAIR SOBRE SI O CASTIGO DAS FALTAS DE TODOS NÓS. FOI MALTRATADO E RESIGNOU-SE; NÃO ABRIU A BOCA, COMO UM CORDEIRO QUE SE CONDUZ AO MATADOURO" (Is 53,7) [Ver: At 8,32-33]. Assim, a Nova Aliança é feita pelo sangue de Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, vítima única oferecida em sacrifício pelo gênero humano.

Estas considerações a respeito da relação existente entre a antiga e a nova aliança, deixam transparente que as duas histórias caminham na mesma direção, sendo a primeira um símbolo ou uma prefigura da segunda. Desta forma, a nossa intenção, neste colóquio, é tornar claro que as Sagradas Escrituras têm o propósito de descrever a história da salvação em dois momentos distintos, sendo o primeiro uma preparação para o segundo. Entretanto, o mais importante é compreendermos que o texto do antigo testamento se apresenta eivado de toda uma simbologia que mais tarde é transformada, de modo que, aquilo que antes, na antiga aliança, era um símbolo, na nova aliança se torna realidade.

CONTINUO MAIS TARDE !!!

Um grande abraço a todos !!!
avatar
Flávio Roberto Brainer de
Tira-dúvidas oficial

Mensagens : 1189
Data de inscrição : 13/09/2009
Idade : 59
Localização : Gravatá - PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Pe. Anderson em Dom Dez 12, 2010 12:43 pm

Caros amigos,

Gostaria de contar-vos uma história real sobre o tema discutido aqui.

Tenho um amigo aqui em Roma, sacerdote espanhol que esteve por 7 anos na China, trabalhando como párroco. Ele foi para lá, aprendeu o chines e chegou a ser párroco em Taiwan.

Recentemente ele contou uma história real aqui em Roma que está girando de boca em boca pela cidade Eterna. Gostaria de partilhar com voces.

Ele me disse que um pároco, amigo seu, da Igreja Católica clandestina, da China Continental decidiu fazer adoraçao perpétua ao Santíssimo na sua paróquia. O único problema é que eles nao tem paróquia, ou seja, nao tem um templo onde se pode celebrar a Eucaristia publicamente (eles celebram sempre nas casas).

Entao a idéia desse sacerdote foi de fazer a Adoraçao Eucarísticas nas casas dos seus paroquianos. Jesus Sacramentado ficaria na casa de cada família por um dia e depois passaria a outra casa. Assim foi feito, mas esse sacerdote instruiu às pessoas a jamais deixarem Jesus Cristo sozinho nas casas, se deve sempre estar diante do Senhor em adoraçao. E assim está sendo feito.

Esse sacerdote contou que um dia Jesus estava na casa de uma senhora chinesa. Essa senhora mora sozinha e a certo momento ela recebeu um telefonema que a obrigava a abandonar a sua casa por algumas horas.

Essa senhora entao telefonou para sua vizinha, que era paga (nao batizada), a chamou à sua casa e disse: "ves isso branco aí? É Jesus Cristo vivo. Preciso que voce fique aqui com ele por uma hora, preciso sair, depois volto explico a voce melhor. Voce pode ficar aqui por essa hora? Nao deixe Jesus Cristo sozinho!"

Essa senhora paga aceitou. A outra saiu e voltou à casa e disso à sua amiga: "agora voce pode ir para casa, muito obrigado." E a outra respondeu:

"Poderia ficar mais um tempo? Essa foi a melhor hora da minha!"

Essa foi a história real que ocorreu recentemente e que está sendo espalhada por todo o mundo. Creio que nos deve fazer pensar no grande tesouro que nós temos: a presença real de Jesus Cristo, morto e ressuscitado por nós!

Um grande abraço e que o Senhor os abençoe.
avatar
Pe. Anderson
Admin

Mensagens : 952
Data de inscrição : 10/09/2008
Idade : 35
Localização : Roma

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eucaristia, muito mais que reunião fraterna

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum